Clique e assine VEJA SAÚDE por R$ 6,90/mês

Dá para ser vegetariano e ter um ótimo desempenho nos exercícios físicos

Novo livro ajuda os adeptos do vegetarianismo a terem um ótimo rendimento na musculação e nas atividades físicas em geral

Por Theo Ruprecht - Atualizado em 16 Maio 2019, 11h18 - Publicado em 11 set 2018, 10h16

Sim, dá para ser vegetariano e ter um corpo condicionado. E não, você não precisa se entupir de cápsulas para isso. É apoiado nesses pontos que a nutricionista inglesa Anita Bean escreveu .

Fora explorar a interação dessa dieta com o desempenho físico, a obra traz mais de 100 receitas – para todas as refeições, incluindo as anteriores e as posteriores aos treinos – que facilitam a vida de um vegetariano ativo.

“Meu objetivo é mostrar que adeptos desse tipo de alimentação podem atingir suas metas esportivas. Daí as dicas e informações práticas”, justifica Anita.

Nutrientes para ficar de olho na dieta vegetariana

Proteína: A carne oferta boas doses de matéria-prima dos músculos. Para contornar, valorize laticínios (se não for vegano), lentilha, soja e oleaginosas.

Continua após a publicidade

Ferro: Ele garante o transporte de oxigênio para o corpo. Um reduto é o bife bovino. Mas também está no feijão, em grãos integrais, etc.

Ômega-3: Essa gordura contém a inflamação do pós-treino. Linhaça, nozes e chia são uma alternativa aos peixes.

Vitamina B12: Essa é difícil de achar no reino vegetal. Para quem aceita, ovos e laticínios dão uma força, mas suplementos talvez sejam necessários.

Cálcio: Ele beneficia os ossos e participa da contração muscular. Está no leite, nas folhas verde-escuras e em bebidas fortificadas.

Continua após a publicidade

Vitamina D: Sua grande fonte são os raios solares – mas há alimentos fortalecidos com a substância, que chega a auxiliar até o sistema cardiovascular.

Publicidade