Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Os alimentos que ajudam a aliviar e até adiar a menopausa

A dieta tem um peso importante nessa fase da vida da mulher. Descubra quais ingredientes ajudam a amenizar os sintomas do climatério

Por Juan Ortiz, Henrique Kanitz e Sílvia Lisboa
Atualizado em 11 ago 2020, 10h57 - Publicado em 13 set 2018, 10h30

Quando a vida reprodutiva está chegando ao fim, boa parte das mulheres sente as manifestações da gangorra hormonal – afinal, os ovários estão encerrando o expediente. Cerca de 80% delas penam com ondas de calor (ou fogachos) e suor intenso. A libido cai e a vagina fica mais ressecada. E há quem sofra com insônia e até depressão. Tudo sintoma desse período chamado climatériomenopausa mesmo é só a última menstruação. Não é à toa que a ampla maioria gostaria de postergar ao máximo sua chegada.

“Tem mulheres que passam muito mal mesmo”, relata a ginecologista Mariana Maldonado, membro da Sociedade Brasileira de Estudos em Sexualidade Humana. Cientes disso e das repercussões da fase na saúde feminina, profissionais vêm se dedicando a encontrar formas de atrasar a menopausa ou amenizar suas consequências.

E uma pesquisa inglesa indica que a dieta pode interferir na idade em que a produção hormonal cessa. Após analisar os hábitos à mesa de 914 mulheres com idades entre 40 e 65 anos, uma equipe da Universidade de Leeds descobriu que, entre aquelas que comiam mais peixes e legumes frescos todos os dias, o fim da menstruação chegou até três anos mais tarde do que a média britânica (51 anos).

Quem manteve um cardápio rico em carboidratos simples (massa, arroz…), por sua vez, teve a menopausa antecipada em até um ano e meio.

A vantagem do primeiro grupo estaria na ingestão de ômega-3, vitaminas e outros antioxidantes, que favoreceriam o bom funcionamento das células, inclusive as dos ovários. O estudo não encerra a questão, mas reforça o conselho de manter uma alimentação balanceada – até pelos quilos extras!

“O consumo excessivo de farinha de trigo refinada e açúcar contribui com o ganho de peso, comum nesse período”, nota a endocrinologista Mariana Halla, diretora da Sociedade Brasileira para Estudos do Envelhecimento.

Alguns alimentos e nutrientes ajudam a atenuar os efeitos da menopausa

Peixes: O consumo regular de espécies oleosas como salmão, atum e sardinha está ligado a uma menopausa mais tardia.

Legumes: É para comer todo dia. E dê prioridade às versões frescas. Vale vagem, ervilha, grão-de-bico, lentilha…

Continua após a publicidade

Nozes e castanhas: São fontes de gorduras boas e antioxidantes, que reduzem os danos às células dos ovários.

Ovos: Têm proteína e vitaminas, como a D, que atua na absorção de cálcio e, assim, ajuda a prevenir a osteoporose.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A saúde está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA SAÚDE.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.