Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Coronavírus: como preservar a saúde mental durante a pandemia

Organização Mundial da Saúde (OMS) publica documento que ensina a preservar o bem-estar diante do pânico gerado pelo aumento de casos do novo coronavírus

Por Maria Tereza Santos
Atualizado em 18 ago 2020, 10h48 - Publicado em 13 mar 2020, 13h59

As epidemias costumam provocar um pânico generalizado na população, principalmente quando não se tem total conhecimento sobre a doença — é o caso da infecção pelo novo coronavírus (chamado de Sars-Cov-2). Esse tipo de situação pode abalar a saúde mental, causando estresse e ansiedade.

Por isso a Organização Mundial da Saúde (OMS) publicou orientações para preservar o bem-estar durante a pandemia. Os recados vão desde as atitudes que devemos ter com outros até maneiras de explicar a situação para crianças.

Seguir essas dicas ajuda indiretamente na prevenção, porque o risco de tomar atitudes sem embasamento científico — como passar vinagre em vez de álcool-gel nas mãos para evitar a Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus — diminui se você estiver com a cuca fresca.

Separamos os pontos mais importantes do documento:

Não seja preconceituoso

Desde a descoberta do Sars-Cov-2, várias pessoas amarelas relataram situações de discriminação pelo fato de o surto ter surgido na China. Acontece que o ele é capaz de contagiar gente do mundo todo. No nosso país, inclusive, o primeiro afetado foi um brasileiro que voltou de viagem da Itália.

Portanto, não ataque ninguém de etnias e nacionalidades diferentes da sua, estejam elas infectadas ou não.

Continua após a publicidade

Não rotule os indivíduos atingidos

A OMS defende que se referir a um paciente como “caso de coronavírus” ou à sua família como “família Covid-19” é uma forma de desumanizá-las em uma situação difícil. Não esqueça que, após a melhora, a vida deles continuará normalmente.

Em vez disso, procure usar termos como pessoas “que têm Covid-19”, “em tratamento contra a Covid-19” e “se recuperando da Covid-19”.

Evite o bombardeio de informações

A todo momento surge um dado novo sobre casos confirmados do coronavírus, o que leva os noticiários a lotarem sua programação de reportagens. Apesar de ser importante procurar conhecimento, o fluxo constante de notícias gera preocupação e estresse.

Continua após a publicidade

Sentiu que os sites e jornais estão te deixando ansioso? Tente se informar em momentos específicos, de uma a duas vezes ao longo do dia. E foque naquilo que ajudará a tomar atitudes práticas para prevenção. Essa, aliás, é a linha editorial de SAÚDE, como você pode notar nos nossos conteúdos sobre o tema.

E, claro, consulte apenas fontes confiáveis para não cair em fake news.

Oriente as crianças e ensine a lidar com as emoções

Os pequenos precisam ficar cientes do que está acontecendo, especialmente se há alguém infectado em casa. Ao perceber que os pais estão estressados e ansiosos, eles reproduzem esse comportamento e acabam buscando mais apego ou sendo mais exigentes com os adultos.

Acredite: principalmente se estão em idade escolar, os meninos e meninas percebem que há algo diferente.

Dê uma explicação condizente com a faixa etária deles e mantenha a rotina o mais normal possível. Se seus filhos demonstrarem preocupação, ajude-os a gerenciar suas emoções e a aliviar a ansiedade.

Continua após a publicidade

Tenha paciência com os idosos

Essa é uma dica crucial, visto que os mais velhos são a principal população de risco para sofrer complicações da Covid-19. Ofereça recomendações claras sobre a prevenção da enfermidade e as repita quantas vezes for necessário, sempre de forma calma e respeitosa.

É bom lembrar que a turma que está isolada em casa ou no hospital tem maior probabilidade de se tornar ansiosa, irritada, estressada e agitada — sobretudo os com declínio cognitivo e demência. Nessa hora, todo apoio emocional e prático é bem-vindo, seja da família, seja de profissionais da saúde.

Cuidados com pessoas isoladas

Se porventura você precisar ficar em casa ou no hospital, tenha cautela com as notícias sensacionalistas e conserve o que for possível das suas atividades diárias. Apesar do isolamento físico, comunique-se com seus familiares e amigos por internet e telefone.

Continua após a publicidade

Nos períodos de maior estresse, foque nas suas necessidades e envolva-se em atividades que goste e ache relaxante. Se exercitar (mesmo que na sala), ficar com o sono em dia e comer alimentos saudáveis sempre é uma boa.

Lembre-se que as autoridades de saúde pública e especialistas do mundo todo estão trabalhando continuamente para garantir os melhores cuidados aos afetados.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A saúde está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA SAÚDE.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.