saudeLOGO Created with Sketch.

Tem TDAH? Então pedale

Exercícios ajudam quem possui déficit de atenção a se sentir mais animado e menos confuso

Desconcentração e um ritmo acelerado demais não são as únicas chateações que afligem pessoas com Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH). Confusão, fadiga e depressão também podem dar as caras. A boa notícia é que pesquisadores da Universidade da Geórgia, nos Estados Unidos, constataram que passar 20 minutos por dia em cima de uma bicicleta ameniza essas repercussões negativas. “Os exercícios estimulam a geração de neurotransmissores responsáveis pelo controle do humor, como dopamina, serotonina e endorfina”, justifica Sidney Oliveira Filho, profissional de educação física do Grupo Ultrafarma. “E vários estudos indicam que a produção dessas substâncias se encontra desregulada em quem tem TDAH”, conclui.

Malhação substitui os remédios?

Nada disso. “Por enquanto, não existem evidências de que a atividade física melhora a hiperatividade e a atenção em si”, avisa o psiquiatra Luis Augusto Rohde, presidente da Federação Mundial de TDAH. Mexer o corpo é mais um componente do tratamento.

Leia mais: Como o exercício melhora imunidade?

No divã… e na esteira
Outros distúrbios combatidos no esporte

Depressão

Não faltam trabalhos comprovando que suar a camisa ajuda a contornar a tristeza e outros sintomas do quadro.

Transtorno bipolar

Uma revisão australiana da Universidade Central de Queensland mostra que bike, caminhadas e afins favorecem o equilíbrio do humor.