Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

A dieta que ajuda a baixar a pressão arterial

Mudanças à mesa trazem efeitos significativos no controle da hipertensão

Por André Biernath Atualizado em 6 set 2019, 18h07 - Publicado em 16 abr 2018, 10h15

O sal é um elemento fundamental para o balanço da pressão arterial. O dilema é que nós não sabemos usá-lo direito. Compare você mesmo: a Organização Mundial da Saúde (OMS) preconiza o consumo de 5 gramas do tempero por dia, enquanto nós ingerimos 12 gramas. É mais que o dobro!

“Ao contrário de outros países, em que o problema está nos produtos industrializados lotados de sódio, no Brasil o exagero acontece com o sal de cozinha, usado no preparo das refeições”, observa a nutricionista Marcia Gowdak, da Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH).

O excesso de pitadas salgadas faz o organismo reter líquido, aumentando o volume de sangue que circula pelo corpo. Como as artérias continuam com o calibre igual, a pressão sobe. Soa a clichê, mas não tem como fugir: trate de reeducar o paladar e maneirar no saleiro. Como a pressão (e o cardápio) não depende só de sal, outros ingredientes merecem atenção pelo bem dos vasos.

Para facilitar a vida, não há melhor estratégia do que seguir os preceitos da DASH (sigla em inglês de Abordagem Dietética para Frear a Hipertensão). “Criada há 20 anos, ela segue atual e está diretamente relacionada com a queda dos níveis de pressão”, elogia a nutricionista Regina Pereira, da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp). Dê uma espiada abaixo nos nutrientes que a DASH indica e contraindica.

  • Nutrientes para ficar de olho

    Potássio
    Presente em quase todos os vegetais (não é só na banana, não), promove a eliminação do sódio por meio da urina.

    Cálcio
    Regula o sistema nervoso simpático, que comanda o calibre dos vasos. Está nos lácteos. Prefira as versões desnatadas.

    Magnésio
    Participa da contração muscular e garante um coração dentro do compasso. Nozes e castanhas são ricas nesse mineral.

    Fibras
    Não têm efeito direto sobre a pressão, mas labutam pela integridade das artérias. Sempre bem-vindas.

    Sal
    Muita moderação com o tempero. Sódio demais provoca retenção hídrica, o que faz a pressão decolar.

    Álcool
    Uma ou duas doses até relaxam os vasos. Beber demais, porém, deixa os tubos sanguíneos tensos e contraídos.

    O que a DASH preconiza diariamente

    Frutas, verduras e legumes: de 8 a 10 porções

    Continua após a publicidade

    Carnes magras, frango ou peixe: 2 porções

    Lácteos: 3 porções

    Cereais e grãos integrais: de 6 a 8 porções

    Nozes e castanhas: 1 porção

  • De grão em grão…

    Mudanças à mesa reduzem a pressão sistólica, o primeiro número da medida. Veja:

    Emagrecer
    -1 mmHg (a cada quilo perdido)

    Adotar a dieta DASH
    -11 mmHg

    Cortar o sal em 25%
    De -5 a -6 mmHg

    Caprichar na ingestão de potássio
    De -4 a -5 mmHg

    Maneirar nas bebidas alcoólicas
    -4 mmHg

  • A gordura que conspira

    O excesso de peso é um dos fatores que agravam a hipertensão. Logo, emagrecer é importante para aliviar o aperto nos vasos. Nos casos mais graves de obesidade, os médicos já discutem o efeito da cirurgia bariátrica no controle da hipertensão.

    “Em nossa experiência, 83% dos pacientes operados conseguiram controlar a pressão e reduzir o uso de medicamentos”, conta o cirurgião Carlos Schiavon, que acaba de divulgar um estudo sobre o tema pelo Instituto de Pesquisa do Hospital do Coração, em São Paulo.

    Continua após a publicidade
    Publicidade