Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Imagem Blog

Com a Palavra

Por Blog
Neste espaço exclusivo, especialistas, professores e ativistas dão sua visão sobre questões cruciais no universo da saúde
Continua após publicidade

A importância dos momentos de ócio para a saúde mental

Especialista explica como abrir espaços para descontração e descompressão pode ajudar na recomposição da mente

Por Camila Puertas, psicóloga*
20 jan 2022, 11h03

Neste Janeiro Branco – mês caracterizado pela conscientização sobre a saúde mental – é relevante a discussão de temas que podem proporcionar pequenas mudanças na rotina para promoção do bem-estar.

Em uma sociedade de excessos, onde tudo acontece em ritmo frenético e ansioso, a grande quantidade de tarefas e a desorganização da agenda – ou a falta dela – potencializam o estresse e a ansiedade.

É diante desse cenário que a ideia de desacelerar e aproveitar momentos de ócio e descanso não planejados ganha cada vez mais espaço.

Compartilhe essa matéria via:

Essa necessidade de “fazer nada” parece ter sido aflorada após quase dois anos de uma pandemia que forçou o trabalho a se misturar com o ambiente de lazer e repouso.

Na busca do bem-estar mental, não só o ócio tem um papel importante. Programar a rotina com horários definidos para comer, dormir, trabalhar, estudar, praticar um esporte ou atividade física, incluindo momentos de pausa, também ajuda na prevenção e no tratamento de transtornos mentais.

Diminuir a necessidade de tomar decisões faz com que a pessoa continue a agir, não somente por vontade ou ânimo, mas por hábito.

Continua após a publicidade

É válido destacar que o dia a dia não precisa ser maçante, sem espaço para inovações ou fugas. Pelo contrário: podemos – e devemos – incluir momentos de distração.

Em casos graves de depressão, quando qualquer atividade da rotina parece extremamente complexa e a pessoa se vê incapaz de realizá-la, parte do tratamento inclui, em longo prazo, estabelecer hábitos saudáveis que proporcionem criar uma rotina.

Pausar não é perder tempo, é otimizar tempo

Muitas vezes o ócio é confundido com preguiça e, por isso, desvalorizado e desencorajado. Mas, para o bem-estar mental, é imprescindível quebrar esse paradigma.

Continua após a publicidade

A própria ciência já se debruça sobre a relação entre as pausas na rotina e o funcionamento do cérebro.

A literatura científica mostra, por exemplo, que a capacidade de se concentrar em tarefas e executá-las da melhor maneira possível depende de circuitos específicos do cérebro, que basicamente aumentam o processamento das informações daquilo em que se coloca foco.

Por ser algo muito desgastante para o cérebro, não é possível sustentar a atenção em uma tarefa por muito tempo.

Continua após a publicidade

Então, para otimizar o uso dos nossos recursos cognitivos e restaurar os circuitos relacionados com foco e concentração, é recomendado fazer uma pausa entre as tarefas.

Isso possibilita ao cérebro reativar memórias recém-adquiridas, auxiliando em sua consolidação. Não à toa, os intervalos são especialmente valiosos em sessões de estudo e trabalho.

+ LEIA TAMBÉM: Nos planos de Ano Novo, inclua o seguinte item: “cuidar de mim”

Continua após a publicidade

Por isso, permita-se uma pausa. Atividades como meditação e ioga são bem-vindas nesses momentos de esgotamento e falta de foco.

E não se culpe por não ser produtivo o tempo todo, porque, na realidade, isso é fundamental para continuar sendo produtivo em longo prazo.

Caso você acredite estar com a saúde mental prejudicada, não hesite em procurar um profissional da saúde mental.

Continua após a publicidade

*Camila Puertas é psicóloga, mestranda do Programa de Pós-Graduação em Psiquiatria e Psicologia Médica da Unifesp e integrante do corpo clínico da Remind.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.