Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
lara natacci alimente se Alimente-se Comer é muito mais do que ingerir nutrientes. Na receita de uma alimentação equilibrada, também há ingredientes comportamentais, emocionais, culturais e ambientais, como mostra a nutricionista Lara Natacci

Cuidados com a alimentação na praia

Nossa colunista indica lanches fáceis e gostosos para garantir equilíbrio e segurança no momento de petiscar à beira-mar

Por Lara Natacci 28 jan 2022, 19h50

Com a chegada do verão, as visitas à praia ficam mais frequentes e não podemos deixar de nos cuidar e planejar alguns lanchinhos. Assim, cai o risco de cairmos em ciladas quando bate aquela fome entre um mergulho e outro.

Além de tentar fugir de opções muito gordurosas e ricas em açúcar, devemos ficar atentos em relação às questões de higiene e à procedência dos alimentos para, assim, evitarmos contaminação ou uma infecção alimentar.

Separei algumas dicas de lanches fáceis para você levar de casa e conseguir manter o equilíbrio:

Frutas

As versões in natura são sempre uma ótima escolha. Banana, melão, melancia, uva, maçã, entre outras, são opções que podem ser levadas picadas em potes ou inteiras, já bem lavadas e secas.

O ideal é armazenar em bolsas ou caixas térmicas. Além de saborosas, elas refrescam e ajudam a manter a hidratação.

+ Leia também: Por que a incidência de infecção urinária sobe no verão

Sanduíches naturais

Eles dão uma saciedade maior no momento da fome. Podem ser feitos com pão de forma, sírio, francês ou bisnaguinha e recheados com frango ou atum em lata. Evite o uso de ingredientes que podem estragar com altas temperaturas, como ovo, maionese e molhos em geral.

Tenha o cuidado de preparar os lanches no dia em que serão levados à praia. Embale-os em papel alumínio.

Eles podem ser consumidos em até duas horas após a montagem se forem armazenados em bolsas térmicas. Se guardar em caixas térmicas com gelo, aí dá para comer em até quatro horas.

Continua após a publicidade

Vegetais

Caem muito bem como snacks. Pepino ou cenoura podem ser cortados em formato de palito – se preferir, tem a versão baby. Tomatinhos cereja também são de fácil consumo e armazenamento.

O famoso milho cozido vendido por ambulantes pode ser feito em casa e levado já preparado, evitando, assim, o perigo de contaminação.

Cabe lembrar que todos os alimentos levados à praia devem estar devidamente lavados, higienizados e secos, além de armazenados em potes de vidros, bolsas ou caixas térmicas.

Mix de oleaginosas e frutas secas

Podemos preparar um combo com castanhas, nozes, amendoim e frutas secas. Resistentes ao calor, as oleaginosas podem ser colocadas em saquinhos fechados e levadas na bolsa sem ocupar muito espaço. Dê preferência às versões que não têm sal.

Compartilhe essa matéria via:

Caso não seja possível o preparo desses lanches, veja algumas orientações para nortear o consumo de alimentos vendidos nas barraquinhas:

  • Na compra do milho verde, certifique-se de que o alimento está imerso em água fervente e evite o excesso de sal e manteiga.
  • Água de coco é uma ótima escolha pois possui poucas calorias, auxilia na hidratação e ajuda e repor a água e os sais minerais perdidos através do suor durante um dia quente. Só se atente à higiene do manipulador.
  • Os sucos de frutas naturais – sem adição de açúcar – também são ótimas pedidas na hora de se refrescar.
  • No caso do açaí, a melhor escolha seria consumir a polpa natural da fruta, sem xarope e sem adição de açúcar. Mas isso é bem difícil de ser encontrado nos quiosques de praia. Então, a dica é pegar leve nos acompanhamentos. Escolha sempre frutas in natura e granola – preferencialmente, sem açúcar. Fuja dos ingredientes açucarados, como leite em pó e leite condensado.
  • O picolé é um dos alimentos mais comprados na praia, sobretudo devido ao calor. Dê preferência aos de frutas, que possuem uma menor quantidade de calorias e gorduras, e são mais refrescantes.
  • Caso opte por tomar um drinque à beira-mar, tenha em mente que as bebidas alcoólicas costumam ter um alto teor de açúcar e calorias e, além disso, geram um alto nível de desidratação no corpo. Opte por drinques sem açúcar e consuma com moderação.

E não esqueça jamais da sua principal aliada no verão: água! Ela é hidratante, o que é ótimo para os dias quentes.

O ideal é consumir, no mínimo, dois litros por dia – mas pode ir além dessa quantidade, especialmente por causa da perda de líquidos por meio do suor. Para tomar o dia todo, leve sua garrafinha a tiracolo. E aproveite a curtição!

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação confiável salva vidas. Assine Veja Saúde e continue lendo.

Impressa + Digital

Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao site da Veja Saúde, diariamente atualizado.

Blogs de médicos e especialistas.

Receba mensalmente Veja Saúde impressa mais acesso imediato às edições digitais no App, para celular e tablet.

a partir de R$ 14,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao site da Veja Saúde, diariamente atualizado.

Blogs de médicos e especialistas.

Acesso imediato ao app da Veja Saúde, com as edições digitais, para celular e tablet.

a partir de R$ 9,90/mês