Clique e Assine VEJA SAÚDE por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Como fazer lavagem nasal do jeito certo?

Um guia para garantir a limpeza e aliviar congestões em adultos e crianças

Por Maurício Brum
10 jun 2024, 16h13

Outono e inverno são épocas pródigas em problemas respiratórios e especialmente propícias para o nariz entupido. Seja pelas temperaturas baixas ou pelo ar seco, que afetam a consistência da mucosa nasal, ou pelo fato de que há mais gente aglomerada em ambientes fechados, aumentando o risco de contrair resfriados, gripe ou covid-19. É nesse contexo que a lavagem nasal entra em cena.

Como o nome sugere, a lavagem nasal consiste em introduzir um líquido nas narinas para remover o excesso de muco acumulado, algo especialmente benéfico para quem tem propensão a desenvolver sinusites. Mas atenção: o “líquido” em questão deve ser soro fisiológico, nunca água pura (mesmo limpa).

Além disso, a solução deve estar em temperatura ambiente ou levemente aquecida (morna), mas não gelada, de modo a garantir uma limpeza mais completa e segura.

+Leia também: Gripe, resfriado, bronquiolite e Covid: os vírus estão no ar

Confira abaixo dicas de como fazer uma lavagem nasal corretamente.

Continua após a publicidade

Como fazer a lavagem nasal em adultos

O soro fisiológico na temperatura adequada deve ser aplicado nas duas narinas, de forma alternada. Isso pode ser feito com a ajuda de uma seringa (sem agulha) ou com uma bombinha específica para lavagens nasais, semelhante a uma pequena garrafa plástica apertável com um “canudo” interno. A partir daí:

  • Incline a cabeça para o lado oposto ao da narina em que você está introduzindo o soro e abra a boca;
  • Introduza a seringa ou a bomba para lavagem nasal sem pressionar a cartilagem interna que separa as duas narinas (o septo nasal) e comece a jogar o líquido;
  • O soro fisiológico deve sair pela outra narina, carregando consigo o excesso de muco;
  • Repita o procedimento no outro lado do nariz

Em algumas pessoas, seja por introduzir a seringa de forma incorreta ou por uma congestão muito acentuada, a solução pode não sair pela narina oposta como esperado. Neste caso, deve-se assoar o nariz para expelir a solução após a lavagem nasal.

Lembre-se, ainda, que todo o processo deve ser feito de forma higiênica, para evitar uma contaminação extra. Recomenda-se realizar a lavagem sobre uma pia, para descartar mais facilmente o líquido. Além disso, lave sempre a seringa ou garrafa que está sendo utilizada para a lavagem nasal, e também higienize as mãos antes de começar o procedimento.

Como fazer a lavagem nasal em crianças e bebês

Em crianças, a técnica para a lavagem nasal é semelhante ao que os adultos fazem em si mesmos. No entanto, existe um risco maior de inflamação dos ouvidos pelo acúmulo de líquidos, já que as cavidades entre o nariz e a orelha são menores. Por isso, a recomendação é que seja introduzido um volume menor de soro, em torno de 5 a 10 ml por narina.

Continua após a publicidade

Já em bebês, o principal cuidado é mantê-los em uma posição ereta, algo que eles podem não conseguir fazer sozinhos. Para garantir isso, posicione o pequeno contra seu próprio corpo, e em seguida a lógica se mantém: quando for introduzir a solução na narina esquerda, incline a cabeça do bebê para a direita; e vice-versa quando o lado se inverter. O melhor, no caso dos bebês, é fazer a lavagem com uma seringa.

A lavagem nasal ajuda a prevenir complicações causadas pelo acúmulo de muco, mas não cura doenças. Quando sintomas como a congestão nasal forem recorrentes ou persistentes, procure sempre orientação médica.

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.