Clique e assine VEJA SAÚDE por R$ 6,90/mês

Pilates pelo bem do corpo e da mente dos mais velhos

Pesquisa brasileira revela que a modalidade traz ganhos físicos e psicológicos para quem já passou dos 60

Por André Biernath - Atualizado em 17 jul 2019, 10h29 - Publicado em 4 jan 2019, 10h35

Engana-se quem pensa que pilates é apenas um treino leve e tranquilo para se alongar. “As sessões trabalham as mais diversas aptidões, como a resistência muscular, a postura e a respiração”, esclarece a fisioterapeuta Walkiria Brunetti, de São Paulo.

E olha que bacana: um estudo realizado na Universidade do Sul de Santa Catarina mostra que até sujeitos mais maduros podem se beneficiar da prática. Para chegar a essa conclusão, foram recrutadas 61 mulheres com idade média de 64 anos. Metade realizou aulas durante quatro meses, enquanto a outra parcela não mexeu o corpo ao longo do mesmo período.

Os resultados apontam que as adeptas do pilates apresentavam mais flexibilidade, força, condicionamento e equilíbrio. “Além disso, observamos uma melhora em questionários que medem a satisfação com a vida e a autonomia”, observa a professora de educação física Vanessa Sanders, chefe da investigação.

Porém, antes de se matricular em qualquer academia ou estúdio por aí, fique atento às dicas listadas abaixo.

Continua após a publicidade

Alguns pontos para tirar o máximo proveito das sessões

  • Converse com seu médico e veja se você está liberado para fazer os exercícios sem se prejudicar.
  • Priorize locais que oferecem aulas individuais ou com poucas pessoas. Assim, o professor orienta melhor os alunos.
  • Analise o currículo dos profissionais e veja se são formados em educação física ou fisioterapia.
  • Vista sempre roupas leves e que facilitem a movimentação do tronco, dos braços e das pernas.
  • Não há necessidade de pegar pesado logo de cara: a dificuldade das sessões progride aos poucos.
  • Se você sentir dor em algum momento, há algo de errado. Avise o professor e veja se sua postura está ok.

A origem do método

Ele foi criado pelo enfermeiro alemão Joseph Pilates (1883-1967) e une princípios do ioga, das artes marciais e da meditação. Os movimentos e posições podem ser feitos no chão ou com o auxílio de aparelhos específicos.

Publicidade