Clique e Assine VEJA SAÚDE por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Com a Palavra

Por Blog Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Neste espaço exclusivo, especialistas, professores e ativistas dão sua visão sobre questões cruciais no universo da saúde
Continua após publicidade

Academia e alívio da dor combinam?

Especialista demonstra o papel da atividade física no alívio de diversos tipos de dor. E reforça: ficar parado é o pior que você pode fazer

Por Mariana Schamas, cinesiologista*
Atualizado em 12 abr 2023, 13h21 - Publicado em 12 abr 2023, 09h53

Estava tomando um café e, na mesa ao lado, duas amigas conversavam animadas. Não pude deixar de ouvir:

— Academia, credo! Só tem pessoas fortes, saradas e cheias de saúde. Não é lugar pra mim. Tenho certeza de que vou me machucar. Academia é coisa de gente jovem.
— Ah, mas tem academia para pessoas mais velhas – responde a amiga.
— Um lugar cheio de velhos eu também acho chato. Velho adora ficar de conversinha e eu não tenho paciência.
— Bom, meu médico falou que tenho que fazer exercício para melhorar minha dor e minha saúde em geral. Preciso resolver isso!

Apesar de mais de 21% da população brasileira frequentar academias, muita gente ainda tem dúvida se esse é o lugar ideal para gerenciar e cuidar da dor. E é sim! Porém, a melhora da dor não depende só da academia: depende de você e do profissional que irá conduzir o treino.

Para conseguir alívio da sua dor crônica, a melhor decisão a tomar é olhar para ela, prestar atenção e assumir o controle. O primeiro passo é se informar, depois falar com especialistas, seguir o tratamento e fazer atividade física.  Lembre-se: ficar parado é a pior coisa que você pode fazer para cuidar da dor.

Exercício é bom para todos os aspectos da dor, pode ter certeza. Bom para tratar, aliviar, cuidar e prevenir a dor. Movimentar o corpo de forma regular é o mesmo que se alimentar, dormir e escovar os dentes dentro de uma rotina constante. Exercício é indispensável!

+ Leia tambémExercícios para prevenir a dor nas costas

Continua após a publicidade

Quando a dor se torna crônica, a maneira que nosso cérebro recebe os estímulos dolorosos e responde a eles fica totalmente bagunçada, gerando medo, insegurança e mais dor.  O exercício organiza esse mecanismo de comunicação, deixando o cérebro menos reativo e você mais aliviado.

Como escolher uma boa academia

Além da academia, há diversos outros tipos de atividade física que podem promover benefícios. São várias opções: caminhar, pedalar, nadar, dançar, jogar tênis, peteca, bola, vôlei, entre outros.

Só vamos deixar claro que exercício e atividade física não são sinônimos. Atividade física é qualquer movimento do corpo onde existe gasto energético e o exercício é uma subcategoria da atividade física onde há uma prescrição específica, com intensidade, volume etc.

A academia é um lugar bem completo para a prática do exercício propriamente dito, com equipamentos variados para todas as partes do corpo: halteres, bolas, roldanas, esteiras, bicicletas, caneleiras, elásticos, step, colchonete… E pode ainda oferecer aulas de dança, yoga, pilates, alongamento e outros.

Ao escolher uma academia para aliviar a dor, preste atenção nessas dicas:

Continua após a publicidade
  1. De fácil acesso:  Perto de casa ou do trabalho por exemplo, fácil de estacionar e entrar e sair. Já vi academias cheia de escadas, dificultando acesso para idosos ou pessoas com dor.
  2. Que caiba no seu bolso: A atividade física/exercício deve ser uma prioridade na sua vida. Sugiro que esteja sempre no seu orçamento e planejamento financeiro.
  3. Que tenha um time qualificado: Com profissionais de educação física atentos às suas necessidades, que saibam te ouvir, se comunicar e fazer adaptações quando necessário. E que sejam acolhedores e que possam fazer um treino personalizado.
  4. Que tenha um ambiente agradável e amigável: Um lugar que te faça sentir bem e incluído.

+ Leia também: Como começar e não largar os exercícios

A atividade física no contexto da dor

Aqui vão algumas dicas para quem vai treinar tendo o alívio em mente:

  1. Antes de começar qualquer exercício, busque ajude especializada. É importante.
  2. Preveja ajustes para mais e para menos de acordo com os sintomas.
  3. Tenha sempre supervisão do profissional.
  4. Busque uma evolução progressiva.
  5. Priorize aumento de volume antes da intensidade (aumentar o número de repetições ou tempo antes de aumentar a carga).
  6. Faça uma hierarquia dos movimentos (começar pelos movimentos que não causam dor e ir avançando).
  7. O foco deve ser sempre na funcionalidade. Não adianta fazer um treino que impede a pessoa de andar no dia seguinte.
  8. Encontrar aquilo que você gosta, que te faz bem, que te motiva e que, de fato, traga alívio da dor.

Regularidade, gentileza, disciplina, dedicação, paciência, constância, flexibilidade e comunicação são as palavras de ordem.

* Mariana Schamas é cinesiologista, pós-graduada em estudo da dor e criadora do método ECAD.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.