Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Uma mão da dieta contra a disfunção erétil

Mudanças à mesa são bem-vindas diante da impotência sexual

Por Thaís Manarini 27 nov 2021, 11h23

Cientistas da Universidade de Atenas, na Grécia, adicionaram mais um feito ao currículo da dieta mediterrânea: melhorar a disfunção erétil.

Ao avaliar 250 homens com dificuldade de manter a ereção, eles notaram que quem apresentava maior adesão ao cardápio tinha artérias mais saudáveis, maiores níveis de testosterona e melhor capacidade física e erétil.

Luiz Otávio Torres, diretor da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), lembra que tudo que faz mal ao coração também abala os vasos do pênis, como hipertensão e colesterol alto. E não é de hoje que a dieta mediterrânea é reconhecida por seu valor ao peito.

“Mas não adianta seguir por três meses e parar”, frisa o médico, que também pondera: “Provavelmente os homens do estudo não tinham um acometimento tão grave”.

+ LEIA TAMBÉM: Seu notebook pode causar infertilidade?

No que focar

Alguns destaques da dieta e como abrasileirá-la:

Pescados
Pode investir na sardinha. Ela é rica em ômega-3, gordura considerada boa.

Continua após a publicidade

Frutas
Tem para todos os gostos. Coma cerca de duas porções ao dia, variando os tipos.

Oleaginosas
Amendoim (natural), castanha-de-caju e castanha-do-pará são ótimas opções.

Vinho
Tem antioxidantes poderosos. Em vez da taça diária, vá de suco de uva integral.

Queijos e iogurtes
Opte por aqueles mais magros. No caso do iogurte, atenção ao açúcar.

Azeite de oliva
O ideal é apostar na versão extravirgem mesmo, que mantém a riqueza nutricional.

Leguminosas
Feijões, grão-de-bico, ervilha, lentilha etc.: o grupo é abastecido de proteínas e fibras.

Cereais integrais
Trigo, aveia, arroz… O importante é que tenham as fibras preservadas.

Continua após a publicidade

Publicidade