Clique e Assine VEJA SAÚDE por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Quer se livrar da insônia? Comece a se exercitar

Atividade regular está associada a sono de qualidade, diz estudo

Por Lucas Rocha
29 Maio 2024, 09h01

Luz baixa. Teto pálido. Um quadro na parede. A janela entreaberta. Essas são imagens comuns aos olhos de quem precisa se esforçar para atingir algo tão básico como o sono.

Mas a agonia de virar de um lado para o outro da cama pode estar com os dias contados — e o antídoto não está à venda nas farmácias. Qual a saída? Vencer o sedentarismo e exercitar-se mais.

Uma pesquisa robusta descobriu que suar a camisa duas ou três vezes por semana, de maneira consistente, colabora com boas noites de sono — de seis a nove horas no travesseiro e com menos chances de vivenciar episódios de insônia.

+ Leia também: Insônia nunca mais: os caminhos para superar o problema

Ao longo de um período de dez anos, os cientistas reuniram informações de mais de 4 mil pessoas de nove países da Europa.

Continua após a publicidade

Os voluntários preencheram questionários que permitiram avaliar, de um lado, a frequência, a duração e a intensidade dos exercícios; e, de outro, sinais de insônia, duração do sono e sonolência durante o dia.

Os resultados, cujos números você confere abaixo, foram diretamente proporcionais. Ou seja, os adeptos do movimento tiveram encontros bem melhores com os braços de Morfeu. Portanto, se o sono não vem, que tal incluir as sessões de atividade física na rotina — e de uma vez por todas?

+ Leia também: Paralisia do sono: entenda o que é e como identificar sintomas

saude-fitness-atividade-fisica-exercicio-insonia-sono-informacao-estudo
Clique para ampliar (Infográfico: Editoria de Arte/Veja Saúde)

Existe melhor horário?

Quando o assunto é treinar, a escolha do período ideal vai depender dos objetivos e da disponibilidade de cada um.

No entanto, uma coisa é certa: se você quer dormir bem, é melhor se antecipar.

“Atividades após as 9 horas da noite costumam ter uma interferência direta no início do sono”, observa Luciano Ribeiro Pinto, neurologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz (SP).

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.