Clique e assine VEJA SAÚDE por R$ 6,90/mês

O que são anabolizantes e quais seus efeitos na saúde?

Eles são vistos por aí como uma solução rápida para ficar forte e sarado. Mas fique atento: seu uso traz sérias consequências à saúde

Por André Biernath - Atualizado em 5 Nov 2019, 12h55 - Publicado em 21 Mar 2019, 10h35

Na busca por um corpo dentro do padrão vendido pela mídia, frequentadores de academia podem acabar investindo nos anabolizantes como uma forma rápida de aumentar os músculos. E sim: os músculos crescem mesmo depressa. Mas o uso sem indicação médica traz prejuízos para a saúde graves.

Antes de entender os riscos do consumo dessas drogas, veja como elas agem no organismo para que o corpo fique bombado:

Ilustração: Thiago Almeida/SAÚDE é Vital

Quais são os efeitos colaterais hormonais

Cabelos: o excesso de testosterona faz os fios caírem e a calvície dar as caras.

Pele: fica irritada, vermelha e cheia de espinhas, principalmente no rosto e nas costas.

Continua após a publicidade

Cordas vocais: as mulheres podem sofrer um engrossamento da voz, que fica masculinizada.

Pelos: surgem aos borbotões – um tormento especialmente para o público feminino.

Mama I: os homens têm aumento dos peitos, que muitas vezes carece de correção cirúrgica.

Mama II: nelas, o efeito é o oposto. Os seios chegam a diminuir de tamanho.

Continua após a publicidade

Pênis: queda da libido e impotência sexual são outros desfechos bastante comuns.

Clitóris: Incha e cresce. Em casos extremos, se assemelha ao órgão sexual masculino.

E os outros efeitos adversos

Cérebro: agressividade exagerada se torna uma queixa recorrente.

Vírus: o compartilhamento de seringas eleva a probabilidade de pegar aids e hepatites.

Continua após a publicidade

Coração: com a expansão das fibras musculares, os batimentos entram em descompasso.

Vasos sanguíneos: a retenção de líquidos empaca a circulação e faz a pressão arterial subir um monte.

Fígado: não raro esse órgão entra em falência, o que abre alas para cirrose ou câncer.

Colesterol: sobe a concentração de gordura pelo sangue. Mais um perigo cardiovascular.

Continua após a publicidade

Esqueleto: tendões e articulações não aguentam o tranco e se rompem com maior facilidade.

Rins: também penam para filtrar o volume elevado de sangue e eliminar todas as impurezas.

Fontes: Alexandre Hohl, endocrinologista e vice-presidente da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia; Jorge Hallak, urologista, diretor do Androscience e coordenador do grupo de saúde do homem do Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo; Páblius Staduto Braga, médico do Esporte e Gestor do Centro de Medicina Especializada do Hospital Nove de Julho (SP)

Publicidade