Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Imagem Blog

Chegue Bem

Por Blog
Você pode (ou melhor, deve) se preparar para um envelhecimento saudável. A geriatra Maisa Kairalla, da Universidade Federal de São Paulo e da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, ensina como
Continua após publicidade

Depressão em idosos piorou em tempos de pandemia

Esse grupo já era especialmente acometido pela doença. Com a Covid, a situação se agravou. Mas a depressão tem tratamento, e o primeiro passo é reconhecê-la

Por Maisa Kairalla
27 fev 2022, 11h15

Já se passaram quase dois anos desde que a Organização Mundial da Saúde (OMS) decretou a pandemia de Covid-19, em 11 de março de 2020.

Desde então, enfrentamos diversas batalhas, mas algo se manteve como uma constante: a vulnerabilidade das pessoas mais idosas frente não apenas à doença em si, mas também aos seus impactos socioeconômicos.

Segundo dados da última Pesquisa Nacional de Saúde, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2019, a população entre os 60 e 64 anos já era considerada a mais afetada pela depressão — para ter ideia, ela atinge 13% dos idosos.

Dentre os principais motivos para isso podemos citar o temido abandono familiar bem como os sentimentos de inutilidade e falta de propósito que a aposentadoria pode ocasionar.

Com a pandemia, o cenário apenas piorou. Isolamento social, medo, luto, estigma e insegurança (inclusive alimentar e econômica) fizeram com que muitos idosos tivessem a saúde mental afetada, trazendo à tona mais casos de depressão e ansiedade.

+ LEIA TAMBÉM: Idosos que mantém cérebro ativo podem adiar em cinco anos o Alzheimer

Por isso, é importante estar atento aos sintomas. Mudanças no comportamento do idoso podem ser um sinal de alerta. Além de bagunçar o sono e o apetite, a depressão é capaz de levar a alterações cognitivas, como dificuldade de raciocínio, perda de memória e falta de concentração.

Desânimo e tristeza, dor no corpo, acessos de raiva, sentimento de culpa e autodesvalorização, apatia e pensamentos negativos também merecem um olhar atento.

Caso identifique desajustes assim, não hesite em procurar ajuda profissional. Além de conversar com um geriatra, a terapia com psicólogos especializados em idosos pode ser bem indicada. A depressão é uma doença séria, mas que pode ser tratada.

Como prevenir e tratar a depressão em idosos?

Manter hábitos saudáveis é fundamental tanto para a saúde física como para a mental. É essencial que o idoso tenha uma alimentação rica em nutrientes, com boas gorduras, proteínas, vegetais.

Compartilhe essa matéria via:

Ainda tem que ter muita água para estar sempre bem hidratado. Tomar sol e produzir vitamina D é outra dica valiosa – por isso, incentive o idoso a se expor ao sol diariamente, por pelo menos 15 minutos, mas evitando o horário das 10 às 16 horas.

Ser uma pessoa ativa também pode ajudar. Estimule a realização de atividades físicas mesmo dentro de casa. Fora isso, apresente a ele algum hobby, como palavras-cruzadas, jogos ou leitura. Esses estímulos auxiliam a preservar a cognição.

Mas é preciso pensar também na questão emocional: procure estar presente. Ainda que não seja possível fisicamente, utilize videochamadas e telefonemas.

A velhice realmente traz seus desafios. Só que, assim como a pandemia, eles podem ser superados.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.