Clique e assine VEJA SAÚDE por R$ 6,90/mês

Pipoca: com alguns truques, dá para comer sempre

O petisco é cheio de fibras e, dependendo do modo de preparo, fica pobre em calorias. Aprenda a melhor versão para fazer em casa

Por Manuela Biz e Thaís Manarini - Atualizado em 12 ago 2019, 10h46 - Publicado em 22 out 2018, 10h08

Quem não curte comer uma pipoca em frente à televisão? Pois saiba que esse petisco é uma ótima escolha. Primeiramente porque o milho concentra antioxidantes, substâncias que combatem moléculas perigosas chamadas radicais livres – elas ameaçam nossas células, levando ao envelhecimento precoce e a outras encrencas. Também tem a alta concentração de fibras, que favorecem o funcionamento intestinal e dão saciedade, o que poderia contribuir para a perda de peso.

Mas não adianta investir na pipoca vendida no cinema ou a industrializada para micro-ondas. Essas, cheias de gorduras, não nos ajudam a angariar benefícios. Para isso, a recomendação é mandar o milho para a panela mesmo. E tem versão que nem precisa de óleo (veja a receita abaixo). Com isso, as calorias já caem pela metade o petisco fica com zero gordura.

Se quiser, tudo bem colocar um fio de azeite ao milho para dar sabor. Até porque ele reúne gorduras boas e antioxidantes. Se der para evitar o sal, melhor ainda. Caso contrário, pegue leve. Outra boa pedida é incrementar o preparo, incluindo pimenta e cúrcuma para um gostinho diferente.

Agora, aprenda com a nutrichef Liliane Rocha, do Rio de Janeiro, a versão magrinha da pipoca:

Pipoca

Ingredientes
1/2 xícara (chá) de água
Sal a gosto
1/2 xícara (chá) de milho para pipoca
Plástico filme

Modo de preparo
Coloque a água, o sal e o milho de pipoca em uma vasilha de vidro grande. Cubra com plástico filme e faça alguns furinhos nele com a faca. Leve ao micro-ondas até estourar todo o milho. Demora em torno de 8 minutos.

Continua após a publicidade
Publicidade