Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Pesquisa mostra eficácia de alerta em rótulos de alimentos

A rotulagem de advertência, que chama a atenção para ingredientes críticos, tem ajudado consumidores chilenos

Por Thaís Manarini
Atualizado em 13 set 2019, 12h51 - Publicado em 27 fev 2019, 10h35

Em 2016, o Chile implementou um sistema que prevê alertas sobre o excesso de nutrientes críticos (sódio, açúcar e gordura) na parte frontal da embalagem de industrializados. Ao que parece, a medida está surtindo efeito.

Uma pesquisa liderada pela Universidade do Chile indica uma redução na compra de itens ricos em açúcar, por exemplo. Para bebidas adoçadas e cereais matinais, a queda foi de 25 e 14%, respectivamente. No levantamento, que ouviu adolescentes e mães de crianças, 90% dos entrevistados disseram valorizar o símbolo.

Para a nutricionista Laís Amaral, do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor, o Idec, o trabalho reforça que esse seria o melhor modelo para o nosso país. “Não adianta termos um rótulo bonito, porém incompreensível”, diz.

Já a nutricionista Vanderli Marchiori, consultora da Rede Rotulagem, iniciativa formada por 22 entidades do setor de alimentos e bebidas, vê a pesquisa com o pé atrás: “Devemos avaliar o que as pessoas estão colocando no lugar dos produtos açucarados”, opina.

Continua após a publicidade

Debate em andamento

É fato que a rotulagem mudará no Brasil. O que ainda não se sabe é qual modelo agrada mais à Anvisa, agência que regula o assunto por aqui – saiba mais sobre as duas principais propostas abaixo.

“Em relatório preliminar, a Anvisa recomendou o modelo de advertência como rótulo nutricional frontal”, conta Laís do Idec. Espera-se que a definição venha este ano.

Continua após a publicidade

Quais são as propostas e as diferenças entre elas

(Foto: Chrissadowski/Getty Images)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A saúde está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA SAÚDE.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.