Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Ovo inteiro ou só as claras: o que é melhor para os músculos?

Estudo de pesquisadores americanos se concentrou nessa pergunta. E os resultados da comparação surpreenderam

Por Thaís Manarini Atualizado em 27 set 2018, 11h04 - Publicado em 9 jan 2018, 18h00

As claras dos ovos são desses ingredientes enaltecidos por quem quer trincar os músculos. Utilizar só essa parte do alimento seria vantajoso porque ela proporciona um bom montante de proteínas – a principal matéria-prima de bíceps, tríceps e afins–, e ainda contém poucas gorduras.

Ocorre que pesquisadores da Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, acabam de publicar um estudo no qual demonstram que essa estratégia de descartar as gemas não traz vantagens. Na verdade, seria até um tiro no pé.

Para o estudo, dez homens jovens foram estimulados a realizar um treino de resistência. Depois, comeram ovos inteiros (somando 18 gramas de proteínas e 17 gramas de gorduras) ou só a clara (totalizando 18 gramas de proteínas e 0 gramas de gorduras). Repare que o teor proteico das duas intervenções era o mesmo.

Os cientistas realizaram diversos exames de sangue e biópsias musculares para verificar como os aminoácidos (as moléculas menores que formam as proteínas) apareciam na circulação e na produção de músculos antes e depois dos exercícios e da alimentação.

Continua após a publicidade

Os resultados mostraram, em primeiro lugar, que comer ovos inteiros ou apenas a clara entrega a mesma quantidade de aminoácidos. “Nos dois casos, de 60 a 70% dos aminoácidos estavam disponíveis no sangue para formar novos músculos”, informou Nicholas Burd, principal autor do estudo, em comunicado à imprensa.

Em uma conclusão apressada, poderíamos dizer que, então, tanto faz comer o ovo com gema e tudo ou só investir na clara. Mas os cientistas foram além.

Por que o ovo inteiro é melhor

Os experts mediram, em detalhes, como se dava a síntese de proteínas nos músculos em cada situação. Foi aí que notaram o seguinte: a ingestão do alimento completo logo após o exercício resistido contribuiu muito mais para a formação de massa muscular.

Para sermos mais exatos, a resposta pós-treino de construção de músculos entre quem comeu o ovo inteiro foi 40% maior do que a observada na turma que ficou somente com as claras. Segundo Burd, a gema do alimento possui proteínas, mas também exibe componentes que não estão presentes na clara – e algo nessa receita parece melhorar a capacidade de o corpo utilizar proteínas para fortalecer os músculos.

“Nosso trabalho sugere que consumir proteínas dentro de sua matriz alimentar natural tende a ser mais benéfico para os músculos do que recorrer a fontes isoladas desses nutrientes”, disse o cientista.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação confiável salva vidas. Assine Veja Saúde e continue lendo.

Impressa + Digital

Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao site da Veja Saúde, diariamente atualizado.

Blogs de médicos e especialistas.

Receba mensalmente Veja Saúde impressa mais acesso imediato às edições digitais no App, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e no app.

Blogs de médicos e especialistas.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)