Clique e assine VEJA SAÚDE por R$ 6,90/mês

Seção conexão – Edição 457

O número da enquete do mês chama a atenção: 55% dos participantes relataram alguma reação adversa ao uso de produtos de limpeza durante a faxina

Por André Biernath - Atualizado em 17 jul 2020, 11h18 - Publicado em 25 jul 2020, 09h00

Em maio, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou um relatório que destacava o aumento de 23% nos casos de intoxicação por produtos de limpeza no Brasil entre janeiro e abril de 2020. A explicação para o fenômeno tem a ver com a pandemia de Covid-19: o isolamento social fez com que mais pessoas precisassem realizar faxinas e manipular substâncias químicas com as quais não estavam acostumadas.

Olha que curioso: o resultado da nossa enquete do mês segue a mesma linha. Mais da metade dos respondentes já se envolveu em algum acidente com água sanitária, desinfetante e afins. Para evitar qualquer perigo, especialistas indicam nunca misturar os compostos, ler os rótulos e sempre conservá-los em sua embalagem original. E, caso você desenvolva qualquer reação aos limpadores, a primeira medida é ligar para o Centro de Informação e Assistência Toxicológica (CIATox) mais próximo de sua casa.

Você já teve um acidente ou episódio de intoxicação com produtos de limpeza?

Foto: Macida/Getty Images

Agora a gente quer saber: 

Você teve episódios de dor nas costas, no pescoço ou na cabeça com a pandemia?

Conteúdo para ouvir

Escute o podcast Detetives da Saúde no site ou em plataformas como Spotify, Deezer, iTunes e YouTube

Continua após a publicidade

Proteja as vias aéreas durante o inverno

Os meses mais frios do ano são a época de rinite, sinusite, gripe, resfriado e, agora, Covid. O que podemos fazer para resguardar a respiração?

Os altos e baixos no controle do diabetes

Uma pesquisa inédita mostra os desafios entre  pacientes que usam insulina e seus familiares e ajuda a entender os principais erros e acertos no tratamento. 

Destaques do site

Testado e aprovado

Continua após a publicidade

Acabamos de lançar um novo espaço em nosso site para a avaliação de livros e produtos relacionados à saúde. Lá, você encontra comentários, opiniões e informações que ajudam a guiar as leituras e as compras. 

Receba notificações

Todas as quintas-feiras, às 17 horas, fazemos uma entrevista ao vivo com um especialista sobre a pandemia do coronavírus. Quer ser avisado quando o programa começar? Faça o cadastro aqui: https://bit.ly/2O2nWlT.

Recados dos leitores (e ouvintes)

Revista essencial, com conteúdos muito interessantes. Parabéns!

@marques_paulo_, via Instagram

Continua após a publicidade

Quero parabenizar pela mudança gráfica, porque melhorou muito a impressão e, principalmente, a gramatura do papel.

Maria Aparecida Alves Nogueira, por e-mail

Amo esta revista. Fico ansiosa pela chegada da nova edição.

@ silvinha.feliz18, via Instagram

Quero parabenizá-los pela matéria Alimente-se sem Perder o Controle [edição 456]. Excelente escrita, com informações relevantes e oportunas para este tempo. Sou pedagoga e admiro um texto bem escrito. Esse está de parabéns! VEJA SAÚDE arrasando.

Continua após a publicidade

Susan Tinoco, via Instagram

Parabéns pelo conteúdo científico e geral de VEJA SAÚDE, pois ele traz atualizações importantes aos leitores.

Renato Romanó, via Twitter

Caraca, a reportagem Casa à Prova de Vírus (e Outras Ameaças) [edição 465] ficou muito completa! Incrível!

Verônica Oliveira, criadora do @faxinaboa nas redes sociais e uma das entrevistadas na matéria

Continua após a publicidade

É uma felicidade quando pego para ler a revista todo mês. Adoro os textos sobre as descobertas da medicina, da psicologia e da nutrição, mas sinto falta de mais conteúdos sobre gastronomia saudável. Que tal?

Clarice Hernandes, por e-mail

O episódio do podcast Detetives da Saúde Quando a Pandemia Apressa a Ciência [edição 54, publicada no dia 2 de julho de 2020] com o advogado e médico Daniel Dourado e a microbiologista Natália Pasternak ficou ótimo e superesclarecedor. Minha crítica vai para o fato de vocês chamarem o Daniel de doutor e a Natália só pelo nome dela. Não é a primeira vez que isso acontece nesse podcast.

Larissa Fereguetti, via Twitter

Oi, Larissa! Em primeiro lugar, ficamos muito felizes que você esteja escutando o Detetives da Saúde. Também agradecemos  sua crítica, muito oportuna, e vamos prestar atenção para que isso não se repita daqui para a frente. Um abraço de toda a equipe que produz e apresenta o podcast.

Publicidade