Clique e Assine VEJA SAÚDE por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Coisas de Homens

Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Sexo, libido, ereção, prevenção de doenças… O bem-estar dos homens está na mira do urologista João Brunhara, diretor médico da Omens, plataforma que trata da saúde sexual masculina
Continua após publicidade

Câncer de bexiga: você pode não saber muito sobre ele, mas deveria

Apesar de não ser tão comum quanto outros tumores, o câncer de bexiga afeta cerca de 10 mil pessoas ao ano, em especial homens

Por João Brunhara
4 out 2023, 10h14

Normalmente, tratamos de temas masculinos nesse espaço, mas hoje o assunto interessa a homens e mulheres. Nem todo mundo sabe, mas quem cuida de câncer de bexiga é o urologista, independente do gênero do paciente.

Apesar de ser não muito falado nos meios de comunicação, este tumor afeta pelo menos 10 mil pessoas por ano no Brasil, sendo que 3/4 desses casos acontecem em homens.

Fumantes e pessoas com mais de 50 anos são os que estão em maior risco, mas existem outros fatores menos comuns, como exposição frequente a tintas ou produtos químicos.

E acontece também de pessoas sem nenhum fator de risco desenvolverem um câncer de bexiga por motivos que desconhecemos.

Continua após a publicidade

+ Leia também: Câncer de bexiga: se detectado na fase inicial, chance de cura é alta

Sintomas e diagnóstico do câncer de bexiga

O primeiro sintoma costuma ser a presença de sangue na urina.

Por isso, a informação mais importante a memorizar é: se notar sangramento quando urinar, procure um urologista. Também podem acontecer ardência neste momento ou um aumento da frequência de idas ao banheiro.

Continua após a publicidade

A investigação começa com exames de urina e de imagem, por exemplo um ultrassom ou tomografia. Se aparecer algo suspeito, o próximo passo é realizar uma raspagem por dentro do canal da urina, que se chama ressecção transuretral do tumor de bexiga.

O material extraído é submetido a biópsia, e então podemos confirmar o diagnóstico.

+ Leia tambémSete tons de xixi

Continua após a publicidade

Tratamento

A boa notícia é que tumores superficiais podem ser totalmente curados com o tratamento por dentro do canal, ou seja, sem cirurgias invasivas e nem quimioterapia. Só que, para isso, é fundamental fazer o diagnóstico precoce.

Em alguns casos, pode ser necessário realizar novas raspagens ou complementar o tratamento com uma medicação infundida na bexiga, chamada BCG, que ajuda a aumentar a imunidade do órgão e reduzir a chance do tumor aparecer de novo.

Porém, quando o tumor se torna profundo, é necessária uma cirurgia mais complexa, que retira a bexiga, por vezes complementada com a químio.

Continua após a publicidade

Esse procedimento se chama cistectomia radical, e atualmente pode ser feito por via robótica, apresentando resultados mais seguros do que o procedimento aberto, convencional.

É possível ainda construir uma nova bexiga, moldada a partir do intestino, de modo a reduzir a interferência na qualidade de vida no pós-operatório.

E nos casos em que existem metástases — ou seja, quando o tumor se espalha para outros locais do corpo, o tratamento é feito com quimioterapia — tendo o intuito de controlar a doença, mas com menos chances de uma cura definitiva.

Continua após a publicidade

Ou seja, o câncer de bexiga tem várias possibilidades de tratamento, mas, quanto mais cedo ocorrer o diagnóstico, melhor eles funcionam. Portanto, se você ou alguém que você conhece urinar sangue, procure logo um urologista.

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.