saudeLOGO Created with Sketch.

Dicas para prevenir as cãibras

Descubra como as cãibras surgem e aprenda a evitar as dores com os alimentos e exercícios corretos

Súbita e sorrateira, a cãibra surge quando menos se espera. Apesar dos especialistas ainda discutem as causas dessa contração muscular violenta e involuntária, já existem algumas pistas importantes para entendê-la.

A cãibra geralmente se manifesta na prática de uma atividade física, sobretudo se o esportista estiver, digamos, pouco condicionado – ou mal alimentado. “Quem exagera no tempo ou na intensidade do exercício pode sofrer cãibras por falta de vitaminas e sais minerais, o que leva à fadiga muscular”, explica o educador físico Renato Dutra, supervisor técnico da Run & Fun Assessoria Esportiva, em São Paulo.

Leia mais: O sedentarismo deixa seu corpo 8 anos mais velho

A escassez de oxigênio na circulação também contribui para esse cansaço extremo dos músculos. “Por isso a respiração correta é tão importante durante o exercício”, explica o fisioterapeuta Robert Velentzas.

O suor da atividade física é mais um fator que ajuda no desencadeamento de cãibras. “A perda excessiva de sódio pode levar à contração muscular”, diz o fisiologista Turíbio Leite de Barros, da Universidade Federal de São Paulo. Mas o excesso de exercício, sozinho, não é suficiente para explicar o aparecimento dessas contrações famigeradas. No meio esportivo, os especialistas sabem que o xis da questão pode estar no que se bebe – na verdade, no que não se bebe. “A desidratação é decisiva para a ocorrência do problema”, informa Barros.

Leia mais: Por que sentimos cãibra ao malhar demais?

“O suor e a urina em excesso podem provocar a perda do sódio e de outros elementos. E o organismo utiliza essa substância do músculo quando está sem reservas energéticas”, explica Cohen. “Isso gera uma resposta nervosa que leva a um estresse mecânico e às contrações involuntárias.” Ou seja… cãibras!

Infelizmente, não existe um tratamento específico para essas contrações. O melhor a fazer é então prevenir.

Para prevenir as travadas

1. Alimentação balanceada
Coma muita fruta, verdura e legumes, que são fontes de sais minerais e vitaminas. Esses nutrientes vão ajudar o bom funcionamento do músculo na hora do esforço, além de garantir reservas de energia.

2. Água e isotônicos
A hidratação prepara o corpo para a atividade física. Por isso beba bastante água. Para quem faz muito exercício, é preciso repor principalmente sódio e potássio, daí a importância das bebidas esportivas durante o treino.

3. Condicionamento físico
Para aguentar o tranco, o músculo tem de estar preparado. Mas isso não ocorre do dia para a noite. É preciso acostumá-lo ao exercício durante semanas, meses… Só assim ele vai se adaptar gradualmente a um regime de força e resistência.

Leia mais: Checkup antes do exercício nem sempre é necessário

O que fazer na hora da dor?

Você já deve ter visto a cena em uma partida de futebol: o jogador faz alongamento no companheiro com cãibra. Pois saiba que esse procedimento pode provocar lesões mais sérias do que a contração.

Na hora da dor, a tática mais certeira é respirar fundo, relaxar e massagear gentilmente o músculo repuxado, com movimentos sempre circulares. “Conforme a sensação dolorosa for cedendo, aí, sim, já dá para descontrair a musculatura com movimentos leves, sem forçar, no sentido inverso ao da contração, sem deixar de respirar e massagear em círculos”, orienta o educador físico Renato Dutra.