saudeLOGO Created with Sketch.

Café mais óleo de coco: vale a pena combinar essa dupla?

Essa é a nova onda entre quem deseja turbinar o gasto calórico e enxugar as medidas. Investigamos se a mistura traz benefícios

A receita original leva café, óleo de coco e manteiga ghee (uma versão sem lactose). Achou estranho? Pois saiba que tem gente apostando nessa fórmula, batizada de bulletproof ou “à prova de balas”.

Entre as vantagens prometidas por seus defensores estão efeito termogênico – ou seja, maior queima de calorias – e fôlego extra no dia a dia. Daí por que essa versão do café faz sucesso especialmente antes da malhação. “Mas os óleos não são termogênicos. Pelo contrário, podem induzir ao acúmulo de gordura no corpo”, esclarece a nutricionista Luciana Rossi, do Centro Universitário São Camilo, em São Paulo.

E outra: a despeito do tipo, todos os óleos são calóricos. Prova disso é que, para uma mulher de 60 quilos torrar a energia fornecida por apenas uma colher de sopa do óleo de coco, precisaria fazer 22 minutos de atividade física. Parece um contrassenso, né? Quanto à alegação de dar mais gás, a expert pondera: “Essa propriedade é, na verdade, do café”.

Óleo de coco não é remédio!

A Associação Brasileira de Nutrologia divulgou um comunicado para pedir cautela em relação ao emprego do óleo de coco. Devido à falta de evidências científicas, a entidade afirma que não dá para prescrever o ingrediente na prevenção nem no tratamento da obesidade e das doenças neurodegenerativas. Ele tampouco é indicado como antimicrobiano ou defensor do sistema imune. Cuidado com algumas propagandas!

 (Foto: Wsantina/iStock)