Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Homens seguem com medo de procurar o médico

Em levantamento realizado no interior paulista, metade dos entrevistados estava acima do peso e não praticava exercícios físicos

Por André Biernath Atualizado em 17 nov 2016, 16h28 - Publicado em 23 set 2016, 13h51

Entra ano, sai ano, a história não muda. Ainda existe uma série de barreiras que impedem os homens de marcarem consultas médicas e cuidarem melhor da própria saúde. Um estudo da Faculdade de Medicina de Marília, no estado de São Paulo, corrobora com essa triste realidade. Mais de 290 indivíduos com idades entre 20 e 65 anos se prontificaram a participar de uma entrevista conduzida por um time de cientistas, que faziam perguntas gerais sobre os hábitos de vida. Aí começou o show de horrores: 41% daqueles que declararam ter hipertensão estavam com a pressão elevada no momento em que respondiam às questões. E olha que 84% dizia que tomava remédio para controlar o aperto nos vasos sanguíneos.

Leia mais: Quando fazer um exame para detectar câncer de próstata?

As estatísticas, divulgadas no Congresso Brasileiro de Endocrinologia e Metabologia, que acontece na Costa do Sauípe, Bahia, ainda mostraram que metade dos participantes apresentava problemas com a balança e era sedentária. Pra piorar, 56% afirmaram que a percepção de saúde para eles era consultar um médico quando sentiam algum incômodo – e olha que 33% declararam ter medo de procurar a orientação no consultório ou no hospital por receio de receber um diagnóstico de doenças da pesada. Ora, na esmagadora maioria das vezes, a estratégia mais inteligente é flagrar a enfermidade logo cedo. O tratamento e a probabilidade de ficar bem serão muito maiores.

Leia mais: Câncer de mama também é coisa de homem

Para resolver os paradoxos do clube do Bolinha, o primeiro passo é encontrar um médico para chamar de seu e, claro, entender e introduzir na rotina o hábito de fazer uma visita a esse profissional para saber a quantas anda o organismo – como as mulheres costumam fazer com o ginecologista. Realizar consultas periódicas – e, se for o caso, passar por exames de checkup – é uma atitude essencial a todos aqueles que tem apreço pela própria saúde.
O jornalista viajou para o Congresso Brasileiro de Endocrinologia e Metabologia a convite da farmacêutica Novo Nordisk

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação confiável salva vidas. Assine Veja Saúde e continue lendo.

Impressa + Digital

Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao site da Veja Saúde, diariamente atualizado.

Blogs de médicos e especialistas.

Receba mensalmente Veja Saúde impressa mais acesso imediato às edições digitais no App, para celular e tablet.

a partir de R$ 14,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao site da Veja Saúde, diariamente atualizado.

Blogs de médicos e especialistas.

Acesso imediato ao app da Veja Saúde, com as edições digitais, para celular e tablet.

a partir de R$ 9,90/mês