Clique e assine VEJA SAÚDE por R$ 5,90/mês

Tai chi chuan para melhorar a cabeça dos cardíacos

Essa atividade incrementa o humor e o bem-estar de quem sofreu um infarto ou outros problemas cardiovasculares

Por Theo Ruprecht - Atualizado em 22 set 2020, 18h35 - Publicado em 22 set 2020, 10h10

Infarto, insuficiência cardíaca e outras condições que ameaçam o coração podem deixar cicatrizes psicológicas — seja pelo trauma, seja por eventuais limitações físicas. “Se você passou por uma situação dessas, eu recomendaria adicionar o tai chi chuan ao seu processo de reabilitação. Há benefícios para a mente e o corpo”, sugere a enfermeira Ruth Taylor-Piliae, da Universidade do Arizona, nos Estados Unidos.

Em uma revisão de 15 pesquisas, que somaram 1 853 vítimas de doenças cardiovasculares, a especialista notou que a arte marcial de movimentos suaves foi associada a menores índices de sintomas depressivos e a uma maior qualidade de vida.

Qual a razão disso? O artigo não responde à questão, mas Ruth dá um palpite: “Eu acho que é a sinergia entre o exercício e as técnicas de respiração. Nós sabemos que segurar o ar gera estresse, por exemplo”.

Números da pesquisa

  • 27% dos hipertensos manifestam sintomas depressivos
  • 20% dos pacientes que sofreram um infarto apresentam esses sinais
  • 20% dos indivíduos com insuficiência cardíaca têm indícios de depressão
  • 35% das pessoas recuperadas de um AVC ficam tristes além da conta
tai chi chuan
Ilustrações: Laura Luduvig/SAÚDE é Vital

 

Continua após a publicidade
Publicidade