Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Imagem Blog

Com a Palavra Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Blog
Neste espaço exclusivo, especialistas, professores e ativistas dão sua visão sobre questões cruciais no universo da saúde
Continua após publicidade

Lições para melhorar a alimentação das crianças nas férias escolares

Mudança de rotina e maior acesso a guloseimas impõem desafios aos pais. Mas é possível equilibrar diversão e saúde nas refeições e nos passeios

Por Gi Belarmino, nutricionista*
16 dez 2022, 08h54

O período de férias é, sem dúvida, um momento de quebra de rotina, tanto para as crianças quanto para os pais. Entre trocar aulas e atividades extracurriculares por ócio criativo, brincadeiras e passeios, um ponto que nem sempre chama a atenção dos responsáveis é a alimentação da garotada.

Duas situações costumam dar as caras aqui: a falta de planejamento para as refeições e a maior permissividade para petiscos, guloseimas e afins. Sair da rotina faz parte das férias (e da vida) e não há motivos para neuras e preocupações excessivas. É natural que os horários e o padrão das refeições mudem nessa época.

No entanto, como é um período de tempo considerável, é importante buscar certo equilíbrio. E é perfeitamente possível se divertir bastante sem deixar de lado os bons hábitos alimentares e a saúde.

+ LEIA TAMBÉM: Você lê o rótulo dos alimentos que compra para seus filhos?

Tudo começa com planejamento. Durante o ano letivo, a criança faz algumas refeições e lanches na escola, e é normal perder o hábito de preparar e oferecer opções mais saudáveis em casa.

Só que, por pura praticidade, isso pode nos levar a partir para alimentos prontos ultraprocessados ou fast-food via delivery. E não é recomendável que isso vire rotina.

Continua após a publicidade

Embora os horários sejam diferentes nas férias, é essencial manter as refeições principais (café da manhã, almoço e jantar) e programar lanches intermediários, principalmente em passeios e viagens — frutas e castanhas são ótimas opções.

Não é que as guloseimas estão proibidas, mas precisamos evitar que elas sejam a base da alimentação durante as férias. Dá para bolar inúmeros lanchinhos atrativos e mais balanceados, incluindo receitas caseiras de pipoca, minipizza, torta, bolo…

O que me leva a outro conselho: que tal cozinhar em família? Sim, chamar as crianças para colocar literalmente a mão na massa. Preparar pratos e lanches, priorizando ingredientes frescos e saudáveis, é uma forma de garantir uma comida mais nutritiva e boas memórias.

BUSCA DE MEDICAMENTOS Informações Legais

DISTRIBUÍDO POR

Consulte remédios com os melhores preços

Favor usar palavras com mais de dois caracteres
DISTRIBUÍDO POR

Fora de casa, sugiro ter atenção nos passeios. Sempre que der, leve lanches prontos embalados na sua residência em bolsas térmicas que evitem deterioração ou contaminação. Exemplos: frutas, cookies integrais, bolo caseiro etc.

Continua após a publicidade

Quando não for possível, evite comprar alimentos de procedência e manipulação desconhecidas para não correr o risco de intoxicações alimentares. Planejando com antecedência e pesquisando na internet estabelecimentos bem avaliados, dá para desfrutar de um lanche mais seguro.

Sobretudo com o calor do verão, tente ao máximo passar longe de alimentos que dependem de muita manipulação ou não são refrigerados adequadamente.

Por último, lembre-se de que nada precisa ser proibido. Enquanto puder manter a rotina alimentar o mais próximo possível do habitual, fica mais tranquilo liberar as guloseimas vez ou outra quando estiver passeando em família. Afinal, as férias servem para isso, não é mesmo?

Compartilhe essa matéria via:

* Gi Belarmino é nutricionista, pós-doutora pela Faculdade de Medicina da USP, coordenadora científica do congresso Ganepão e fundadora da plataforma De Mãe em Mãe

Continua após a publicidade
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A saúde está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA SAÚDE.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.