Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Com a Palavra Por Blog Neste espaço exclusivo, especialistas, professores e ativistas dão sua visão sobre questões cruciais no universo da saúde

Câncer de pênis: você sabe como preveni-lo?

Tema de campanha da Sociedade Brasileira de Urologia, doença é uma realidade em algumas áreas do país. Mas não é difícil evitá-la

Por Alfredo Felix Canalini, urologista* 9 fev 2022, 10h40

Embora não seja uma doença das mais frequentes, principalmente em países desenvolvidos, o câncer de pênis ainda é um problema de saúde pública no Brasil e em nações com menor IDH (índice de desenvolvimento humano).

Por aqui, representa 2% dos tumores malignos que atingem os homens e tem índices preocupantes nas regiões Norte e Nordeste. Só alguns países da África Subsaariana superam nossas taxas.

Em 2021, foram diagnosticados 1 791 casos no Brasil, segundo o Sistema de Informações Hospitalares (SIH/Datasus), número menor do que nos anos anteriores, mas que pode ter sido afetado pelas dificuldades de acesso a atendimento e diagnóstico provocadas pela pandemia da Covid-19.

Tudo leva a crer que isso tenha resultado numa redução de em torno de 20% nos casos notificados pelo Ministério da Saúde quando se compara 2021 com a média dos anos anteriores.

O diagnóstico tardio da doença, quando ela se encontra mais avançada, causou um aumento de 1 604% no número de cirurgias de amputação do pênis nos últimos 14 anos.

+ Leia também: Higiene íntima sem tabus (para elas e para eles)

É um cenário devastador se considerarmos as consequências óbvias na vida de um homem que teve seu órgão sexual extirpado.

Nós, urologistas, temos debatido muito essa questão e sabemos como é necessário esclarecer o homem sobre uma condição tão mutilante que pode ser evitada com cuidados simples de higiene e a prevenção e tratamento de infecções por HPV. Temos inclusive vacina disponível no SUS.

O tumor de pênis está relacionado em boa parte dos casos à higiene inadequada do órgão. É preciso afastar o prepúcio (a pele que recobre a cabeça do pênis) para lavá-lo adequadamente com água e sabão.

Nesse contexto, podem contribuir com o problema o excesso de prepúcio, a fimose (quando a pele que recobre a glande não a deixa ser exposta), a infecção pelo vírus HPV e o tabagismo.

Continua após a publicidade

+ Leia também: Fimose: o que é, tipos, sintomas, tratamento e cirurgia

A doença é, portanto, facilmente evitável com higiene íntima, tratamento da fimose e vacinação. Infelizmente, porém, a desinformação e a dificuldade de acesso à saúde fazem com que muitos homens só descubram a enfermidade quando a solução é amputar o pênis e ela é potencialmente fatal.

Para reverter esse cenário, a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) tem alertado o governo e a população sobre a existência desse mal, contribuído com a elaboração de políticas públicas e treinado urologistas para tratar o câncer de pênis.

Estabelecemos, na semana do Dia Mundial do Câncer, a conscientização sobre o tumor de pênis, e nesse período iniciamos, em cidades do Norte e do Nordeste, um mutirão de cirurgias para retirada do excesso de prepúcio ou tratamento da fimose, visando facilitar a higienização do local e reduzir o risco de infecções.

Fora isso, realizaremos lives no Instagram da SBU para discutir o problema e ampliaremos o projeto de orientação educacional por meio de cartilhas e panfletos lúdicos distribuídos em escolas e outros pontos.

Compartilhe essa matéria via:

Tem mais: faremos nova campanha para sensibilizar as pessoas sobre a importância da vacinação contra o HPV, um dos fatores de risco para a doença, em meninos. E disponibilizar capacitação a profissionais e agentes de saúde para reconhecimento e tratamento precoce de infecções e tumores no pênis.

Por fim, queremos trabalhar junto ao Ministério e as secretarias da Saúde para criar estratégias exclusivas e efetivas de conscientização e enfrentamento dessa doença, que continua a mutilar a qualidade de vida de milhares de brasileiros.

* Alfredo Felix Canalini é presidente da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação confiável salva vidas. Assine Veja Saúde e continue lendo.

Impressa + Digital

Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao site da Veja Saúde, diariamente atualizado.

Blogs de médicos e especialistas.

Receba mensalmente Veja Saúde impressa mais acesso imediato às edições digitais no App, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e no app.

Blogs de médicos e especialistas.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)