Clique e assine VEJA SAÚDE por R$ 6,90/mês

Tomate na prevenção do câncer de mama

Artigo sugere que levar o fruto ao prato é receita para o corpo ter mais adiponectina, hormônio envolvido na prevenção dessa doença.

Por Redação M de Mulher - Atualizado em 28 out 2016, 02h20 - Publicado em 29 Maio 2014, 22h00

O tomate é prestigiado faz tempo por afastar males como câncer e colesterol alto.
Foto: Getty Images

 

Velho conhecido da ala masculina, que tem nele um aliado contra o câncer de próstata, o tomate agora mostra uma nova vocação: aplacar a probabilidade de mulheres na pós-menopausa desenvolverem tumores mamários. O achado vem do Ohio State University Comprehensive Cancer Center, nos Estados Unidos.

Na investigação, 70 voluntárias seguiram uma dieta enriquecida com o fruto do tomateiro por dez semanas. Depois desse período, ficaram 14 dias sem passar perto do alimento. Daí, por outras dez semanas, investiram na soja. “Percebemos que o consumo do tomate fez os níveis de adiponectina subirem 9%. Nas mulheres que não eram obesas, essa taxa elevou 13%”, revela Adana Llanos, professora-assistente de epidemiologia na Escola de Saúde Pública Rutgers. “Quantidades altas desse hormônio estão associadas a uma redução no risco de ter câncer de mama“, explica.

O que permanece um mistério é de que forma o tomate ajudaria na empreitada. Por enquanto, vale saber que as integrantes da pesquisa consumiram o correspondente a 25 miligramas de licopeno – antioxidante poderoso encontrado no alimento. Ou seja, um copo de suco de tomate ou uma combinação de sua sopa com meio copo do famoso molho vermelho que recobre as massas.

Publicidade