Clique e assine com até 72% de desconto

Remédio de maconha para tratar epilepsia

Droga feita a partir de compostos da erva parece ser efetiva nos casos mais difíceis da doença

Por André Biernath Atualizado em 18 jul 2019, 11h13 - Publicado em 2 Maio 2016, 14h45

Apesar de os tratamentos com substâncias da maconha gerarem interesse, a quantidade de pesquisas grandes a respeito ainda é baixa. Para contribuir com a discussão, cientistas da Universidade de Nova York, nos Estados Unidos, testaram o canabidiol (CBD), um dos principais componentes da Cannabis sativa, em pacientes com epilepsia que não melhoravam tomando outros remédios aprovados para controlar o problema.

  • Todos os 214 voluntários, que tinham entre 1 e 30 anos, ingeriram uma quantidade diária do medicamento (que não é alucinógeno) por 12 semanas. Os resultados apontam que a droga, além de segura, reduz a frequência das crises epilépticas. “Nós estamos conduzindo novos estudos com um número maior de pessoas para confirmar os achados iniciais”, diz o neurologista Orrin Devinsky, líder da investigação.

    Como funciona o canabidiol?

    Por ora, não há uma explicação definitiva para os efeitos da molécula no cérebro

    1. Chave e fechadura

    A teoria mais aceita aponta que o CBD se conecta ao receptor GPR55, presente na superfície dos neurônios.

    2. Controle rígido

    Ao fazer isso, ele impediria que a célula nervosa entre em parafuso e dê início a uma crise típica da epilepsia.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade