Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Conheça a dieta do Atlântico

Protagonista de um estudo, ela ajudou a reduzir propensão a doenças crônicas

Por Ingrid Luisa
27 Maio 2024, 08h55

A dieta do Mediterrâneo é celebrada como um dos padrões alimentares mais saudáveis do planeta por priorizar alimentos frescos e naturais, com doses generosas de vegetais e pescados.

Mas sabia que não é a única que leva nome de mar e faz bem ao organismo? Pois a dieta do Atlântico, apreciada no litoral de Portugal e Espanha banhados por esse oceano, pede passagem.

Ela foi alvo de uma pesquisa que avaliou seu impacto no risco de síndrome metabólica — uma coleção de problemas que vão de pressão e colesterol altos a gordura abdominal em excesso.

Os cientistas acompanharam 250 famílias por seis meses. Metade dos participantes seguiu seu estilo de vida habitual; os demais foram convidados a sessões educativas e aulas de culinária para incorporar o menu atlântico. Foi justamente esse segundo grupo que ficou mais protegido das doenças crônicas.

Continua após a publicidade

+Leia Também: Indonésia, nórdica, mediterrânea, e várias outras: mapa-múndi das dietas

No cardápio: Dieta atlântica tem semelhanças e diferenças em relação à mediterrânea

  • Grande consumo de água durante todo o dia. De 30 a 40 ml por quilo de peso é uma boa média para calcular.
  • Priorizam-se carboidratos e cereais integrais, incluindo batatas e pães de fermentação natural.
  • Entram na conta três porções de frutas e duas de hortaliças por dia, respeitando sempre a sazonalidade.
  • Azeite de oliva é a principal gordura para o cozimento das refeições — além de tempero.
  • Lácteos podem ser consumidos de três a quatro vezes ao dia. Valem leite, queijo…
  • Peixes e frutos do mar devem ser consumidos ao menos três vezes na semana.
  • Carnes gordurosas, doces e refrigerantes até podem integrar o menu mensal, mas de forma ultramoderada.
  • Ovos entram na dieta em até quatro porções por semana — boas fontes de proteínas, minerais e vitaminas.
  • Carnes magras (bovina, suína e aves) também podem ser ingeridas de três a quatro vezes por semana.
Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.