Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Quais são os sintomas da febre amarela e suas complicações?

O diagnóstico precoce da febre amarela ajuda a controlar os casos mais graves. Veja os sintomas dessa doença que chega a comprometer o fígado e se proteja

Por Maria Tereza Santos Atualizado em 30 jul 2019, 12h24 - Publicado em 10 jan 2019, 18h43

Quais são os sintomas da febre amarela? A doença é caracterizada por febre, dores no corpo, dor de cabeça, comprometimento do fígado e dos olhos e pele amarelada. Em casos mais graves, causa insuficiência hepática e renal, levando à morte.

A única forma de transmissão do vírus para os seres humanos é a picada de mosquitos. Atualmente, a febre amarela é repassada no Brasil pelos insetos do gênero Haemagogus e Sabethes.

“São mosquitos de zonas silvestres. As pessoas acabam sendo infectadas quando entram em áreas de mata”, explica o infectologista Antônio Bandeira, coordenador do Comitê de Arboviroses da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI).

Entretanto, a febre amarela também pode ser transmitida pelo Aedes aegypti, comum em regiões urbanas. Segundo as autoridades, isso não acontece desde 1942 – em grande parte por causa das campanhas de vacinação.

Como a doença não raro é fatal, você deve ficar atento aos seus sinais. Quanto mais cedo procurar auxílio médico, maiores as chances de recuperação.

  • Sintomas da febre amarela

    • Febre
    • Dor de cabeça
    • Dor no corpo
    • Icterícia (condição que deixa os olhos, pele e mucosas num tom amarelado)
    • Comprometimento do fígado

    “Num quadro mais brando, os sintomas duram de sete a dez dias”, afirma Antônio Bandeira.

    Continua após a publicidade

    Quais são as complicações?

    Se evoluir para sua forma mais perigosa, a febre amarela provoca insuficiência hepática e renal. “A taxa de mortalidade chega a 36%. Se o paciente sobreviver, os sintomas permanecem entre duas e quatro semanas”, alerta o infectologista.

    Porém, Bandeira lembra que a gravidade é determinada pela resposta imunológica de cada indivíduo. “Alguns evoluem de forma muito rápida. Após quatro dias, morrem”, lamenta.

  • Ou seja, a febre amarela é grave – e não tem tratamento específico. O que os médicos podem fazer é lidar com os sintomas e, nas situações críticas, internar o paciente na UTI para tentar preservar suas funções vitais enquanto o próprio corpo debela o vírus.

    Por isso, a melhor forma de combater essa chateação é a prevenção. Sim, estamos falando da vacina, que está disponível na rede pública.

    “A eficácia é muito alta, entre 95% e 98%. Após uma dose, o efeito dura por toda a vida”, conclui Bandeira.

    Também é bom passar repelente, usar roupas compridas e instalar telas nas portas e janelas, especialmente nas zonas de mata.

    Como é feito o diagnóstico?

    A suspeita surge com as manifestações clínicas. Às vezes, os sintomas por si sós já definem a febre amarela. Em outros casos, são necessários exames de sangue.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade