Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Nimesulida: o que é, para que serve, como tomar e cuidados

A nimesulida é um remédio que age como anti-inflamatório, antitérmico e analgésico, mas possui efeitos adversos que exigem cuidado (e receita médica)

Por Maria Tereza Santos Atualizado em 20 jan 2021, 13h42 - Publicado em 4 dez 2020, 15h30

O que é nimesulida e para que serve

A nimesulida é um anti-inflamatório não esteroidal (AINE) com ação analgésica e antitérmica. Ou seja, ela serve para controlar dores leves a moderadas, combater inflamação e baixar a febre.

Quando usar

“Ela é utilizada contra dores articulares, como tendinite e bursite, desconforto muscular e de dente, inflamação de vias aéreas, como sinusite e dor de garganta ou cólicas”, exemplifica a farmacêutica Patrícia Moriel, professora da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Há muitas possíveis indicações.

Mas, ao contrário de outros analgésicos, a nimesulida precisa de receita médica para ser comprada. “É um medicamento de tarja vermelha. Por isso, só deve ser consumido sob prescrição”, orienta Patrícia.

Há risco de reações adversas sérias, principalmente em certos grupos da população, que falaremos mais adiante.

Quanto tempo demora para fazer efeito

São, em média, 15 minutos para aliviar a dor. “Se for usada para febre, leva cerca de uma a duas horas”, relata a farmacêutica.

  • Tipos de nimesulida

    Ela é encontrada em diversas formas de administração: comprimido, cápsula, gotas, gel e supositório. Entre as orais, a versão em gotas é absorvida mais rapidamente por não precisar ser dissolvida no estômago e intestino.

    “O supositório é utilizado quando não é possível por via oral. A absorção também é gastrointestinal”, informa a professora.

    Já a versão em gel entra em cena quando o objetivo é gerar uma ação local. “Nós passamos na pele quando ocorre uma entorse, por exemplo. A absorção é um pouco menor”, explica Patrícia.

    Essas diferentes opções reforçam a necessidade de uma consulta com o profissional de saúde.

    Diferença entre a nimesulida e outros analgésicos, e anti-inflamatórios

    Uma já falamos: ela só pode ser consumida sob prescrição médica. Mas não para por aí.

    Entre os anti-inflamatórios, a nimesulida é mais potente que o ácido acetilsalicílico (AAS). Por outro lado, não tem grande vantagem em relação ao diclofenaco e o ibuprofeno.

    “Sua atividade contra a febre possui a mesma eficácia que a dipirona sódica e o diclofenaco. Porém, é um pouco melhor que a do paracetamol”, complementa a Patrícia.

    No fim das contas, o médico é quem vai decidir se esse AINE é o melhor para a situação, após analisar as condições de cada paciente.

    Nomes comerciais de nimesulida

    A nimesulida é, na verdade, um princípio ativo que pode ser encontrado em diferentes caixinhas na farmácia — inclusive entre genéricos. Dá para achá-la como:

    Continua após a publicidade

    • Arflex
    • Cimelide
    • Nimesilam
    • Scaflam
    • Entre outros muitos nomes

    Crianças, idosos e grávidas podem usar? Quem deve evitar

    A nimesulida não pode ser utilizada antes dos 12 anos. “E para adolescentes, ela não é recomendada como parte do tratamento de infecções virais”, ensina Patrícia.

    Mulheres que estão amamentando ou tentando engravidar devem evitá-la. Em gestantes, esse remédio só é liberado sob orientação e acompanhamento próximo de um médico ou cirurgião-dentista.

    Aos pacientes idosos, o ideal é indicar outra droga. “O uso de anti-inflamatórios na terceira idade é complicado, porque há risco de hemorragia e perfuração gastrointestinal, além de maior possibilidade de comprometer rins, coração e fígado”, alerta a especialista.

    Se não tiver jeito, a utilização precisa ser por curto período e monitorada de perto.

    Há outros grupos com contraindicação: portadores de distúrbios gastrointestinais e de coagulação, alérgicos as componentes do medicamento ou a outros analgésicos e pacientes com problemas hepáticos, renais, cardíacos e respiratórios.

    Por fim, a nimesulida não é recomendada em caso de suspeita de dengue por favorecer hemorragias. Leia a bula e converse sobre a droga com o profissional que a prescreveu.

    Efeitos colaterais da nimesulida

    Os efeitos adversos mais comuns são diarreias, náusea e vômito. Coceira, erupção cutânea e sudorese também ocorrem, mas em menor frequência. Entre as reações mais graves (e bem menos comuns), temos hemorragia e retenção urinária.

    Se você perceber qualquer sintoma suspeito, suspenda a medicação e procure o médico.

    O que acontece se houver superdosagem

    “Em casos de superdosagem, usualmente os pacientes sofrem com letargia, sonolência, náusea, vômito, dores, tontura, sangramento gastrointestinal, aumento da pressão arterial, insuficiência renal e até coma”, avisa Patrícia.

    Caso isso ocorra, procure o Centro de Informação e Assistência Toxicológica (Ciat) mais próximo.

    É importante pontuar que não existe antídoto para a nimesulida. O que se faz em casos de intoxicação é lavagem gástrica, seguida de monitoramento das funções renais e hepáticas.

  • Precauções e advertências

    O ideal é ingerir após as refeições para diminuir a probabilidade de desconforto gástrico. “Se possível, tome com um copo de água, mas não tem problema em beber leite. Não há interação com alimentos”, afirma a expert.

    É necessário interromper o consumo de álcool no período de administração. E não deixe de informar seu médico sobre remédios de uso contínuo para avaliar se a nimesulida é a melhor escolha. Sim, existe risco de interação medicamentosa, principalmente com anticoagulantes e anti-hipertensivos.

    Diante de tantos detalhes, fica clara a necessidade de uma consulta antes de recorrer ao medicamento em questão.

    Continua após a publicidade
    Publicidade