Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Limpeza dental com mais precisão e sem incômodo

O Protocolo GBT, método novo de profilaxia dentária, foca na remoção da placa bacteriana

Por Ingrid Luisa 29 out 2021, 19h10

O trauma de dentista está com os dias contados: a EMS, empresa suíça referência em odontologia, trouxe para o Brasil o protocolo GBT (Guided Biofilm Theraphy), um método de limpeza que não envolve dor e tem eficácia atestada.

Ele foca na remoção do biofilme (ou placa bacteriana), que é a base do tártaro e está por trás de cáries e doenças gengivais. Um dos destaques do GBT é o uso de micropartículas de eritritol, adoçante natural anticariogênico que remove impurezas sem impor desconfortos nem desgaste ao esmalte dentário — diferentemente do bicarbonato, empregado na higiene convencional.

“Além de ser mais confortável, a profilaxia com o GBT ainda ajuda a educar o paciente”, afirma o dentista Renato Trezza, especialista em odontologia estética e reabilitação.

+ Leia também: Sensibilidade nos dentes: como prevenir ou acabar com ela 

Passo a passo

O protocolo conta com oito etapas, mas resumimos para você!

Luz na sujeira
Para começar, o dentista bota em evidência a placa bacteriana aplicando um corante nos dentes. Assim ele também orienta como deve ser feita a higiene em casa.

Doce limpeza
O aparelho Airflow lança um jato de água morna e eritritol para limpar a região — dá para regular sua intensidade caso a caso. O eritritol remove a placa e pole os dentes.

Continua após a publicidade

Em profundidade
Caso existam bolsas periodontais — um dano da periodontite —, o dispositivo Periflow remove o biofilme sob a gengiva em profundidades maiores que 3 mm.

Retoque dental
Se o tártaro resiste, recorre-se ao Piezon No Pain, nova versão do aparelho odontológico ultrassom: ele emite ondas sonoras de alta frequência para limpar, mas agora sem dor.

Faxina concluída
Após a limpeza completa do biofilme, podem ficar visíveis problemas que passavam despercebidos. Daí o dentista indica tratamentos adequados.

Fontes: Cássio Volponi Carvalho, dentista e doutor em periodontia pela FOUSP; Gislaine Sachetti, gerente responsável pela EMS na América Latina.

 

 

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação confiável salva vidas. Assine Veja Saúde e continue lendo.

Impressa + Digital

Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao site da Veja Saúde, diariamente atualizado.

Blogs de médicos e especialistas.

Receba mensalmente Veja Saúde impressa mais acesso imediato às edições digitais no App, para celular e tablet.

a partir de R$ 14,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao site da Veja Saúde, diariamente atualizado.

Blogs de médicos e especialistas.

Acesso imediato ao app da Veja Saúde, com as edições digitais, para celular e tablet.

a partir de R$ 9,90/mês