saudeLOGO Created with Sketch.

HPV atinge mais da metade dos jovens brasileiros

E em 38,4% desses casos, o vírus é de alto risco para o desenvolvimento de câncer

Cerca de 54,6% dos brasileiros entre 16 e 25 anos estão infectados com o papilomavírus humano (HPV). Os números foram divulgados na última segunda-feira, 27, e constam em uma pesquisa feita pelo Ministério da Saúde em todas as capitais brasileiras e no Distrito Federal.

Foram entrevistadas ao todo 7.586 usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), mas só 2.669 passaram por testes para detectar a presença do vírus. Do total de casos confirmados, 38,4% das pessoas registraram um dos tipos mais perigosos de HPV, capaz de causar câncer.

A maioria dos entrevistados declarou estar em união estável: 41,9% disseram estar namorando e 33,1% casados ou morando com o parceiro. A idade média do início da vida sexual foi de 15,3 anos para mulheres e 15 anos para os homens, e a data da primeira gestação se manteve na casa dos 17,1. Salvador (71,9%), Palmas (61,8%) e Cuiabá (61,5%) foram as capitais que registraram maior incidência do HPV. Com 41,2%, Recife está na outra ponta, como a menos infectada.

Que bicho é esse ?

HPV é a sigla em inglês dada a um grupo de vírus transmitidos sexualmente, pelo contato direto com pele ou mucosas infectadas. Apesar de a camisinha feminina ser mais eficiente que a masculina (por cobrir uma área genital maior), só o uso de preservativo não exclui o risco de contágio — e a presença de feridas na vagina, ânus ou pênis, da mesma forma, pode facilitar a transmissão.

Se indicassem a incidência de qualquer outra infestação viral, esses altos índices de infecção mobilizariam grande esforço das ações públicas. Não é o que acontece com o HPV. Graças ao caráter super silencioso da doença, a gigantesca maioria dos portadores não faz nem ideia do que carrega o invasor dentro do corpo.

Apenas 5% dos contaminados costumam sofrer efeitos diretos da ação do vírus, apresentando a formação de verrugas na região genital, na boca e na garganta. Eventualmente, as mudanças são internas, como as lesões no colo do útero nas mulheres, detectáveis apenas em exames de laboratório — colposcopia e o Papanicolau são dois exemplos.

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), existem 150 tipos de HPV diferentes, sendo que 40 deles podem infectar a região anal e genital. Das 13 variedades de HPV consideradas oncogênicas (causadoras de tumor), os tipos 16 e 18 são os mais comuns — estima-se que estejam presentes em 70% dos casos de câncer do colo do útero. A incidência desse tipo de câncer é de cerca de 500 mil casos anuais.

A vacina contra o HPV, disponibilizada pelo SUS no Brasil desde 2014, é a forma mais eficaz de prevenção. Capaz de proteger contra os tipos 6, 11, 16 e 18 do vírus, ela pode diminuir em até 98% a incidência de verrugas e outras doenças. O foco são as meninas entre 9 e 14 anos e meninos entre 11 e 13, além de portadores de HIV. Na rede privada, porém, pessoas de outras faixas etárias também podem ser vacinadas.

Veja também

Conteúdo publicado originalmente no site da Superinteressante.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s