Clique e Assine VEJA SAÚDE por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

CPK: o que é e para que serve esse exame?

Enzima pode indicar problemas nos músculos, no cérebro e no coração, mas quem se exercita demais precisa ter cuidado com falsos-positivos

Por Maurício Brum
6 jun 2024, 14h11

O nome da enzima é creatinofosfoquinase, mas, para facilitar as coisas, médicos e pacientes se familiarizaram com a abreviatura: CPK. Medida com um exame de sangue simples, ela funciona como um marcador que indica danos musculares e está relacionada também à possibilidade de problemas neurológicos ou cardíacos, como um infarto.

Mas não são só emergências médicas que podem ser acusadas por um CPK alterado. Abaixo, entenda melhor o que podem indicar as alterações nos níveis dessa enzima.

+Leia também: Proteína C reativa: o que é e para que serve esse exame de sangue

O que significa o CPK alto ou baixo?

Embora a CPK associada aos músculos seja predominante na corrente sanguínea, essa enzima também é encontrada no cérebro e no coração. Por isso, as alterações nos níveis de creatinofosfoquinase costumam indicar algum problema em alguma dessas três partes do organismo.

A alteração nunca é bem-vinda, mas um CPK alto desperta preocupações mais imediatas porque pode estar relacionado a alguma situação urgente. Danos musculares são a situação mais frequente de elevação dessa enzima, mas problemas do coração podem provocar um aumento súbito, assim como a existência de tumores cerebrais.

Continua após a publicidade

Outros problemas sistêmicos, como disfunções renais, também podem levar a um CPK alto.

Já o CPK baixo demais costuma indicar situações nas quais os músculos estão se atrofiando, como em situações de desnutrição ou sedentarismo.

Também é preciso cuidar com falsos-positivos: devido à relação da enzima com o estresse muscular, pessoas que fazem exercícios físicos intensos podem apresentar um CPK elevado mesmo sem ter problemas de saúde. Por isso, é importante discutir com o médico o preparo para esse exame.

Quando o exame de CPK é feito e qual o preparo

Apesar de simples, medido com uma coleta de sangue normal, o CPK não costuma ser incluído em exames de rotina, e em geral é solicitado quando já há suspeita de algum problema que possa usar a enzima como marcador. Uma das situações mais comuns é em atendimentos de emergência, como quando o paciente apresenta uma dor no peito e há suspeita de infarto ou outro problema cardíaco.

Continua após a publicidade

Pessoas que apresentaram dores musculares atípicas e persistentes ou sintomas neurológicos como convulsões também podem ter indicação para medir os níveis do CPK.

Como esse exame é muito sensível à realização de atividades físicas, o preparo costuma exigir uma interrupção dos exercícios nos dias prévios à coleta da amostra. Em alguns casos, é preciso suspender as atividades por até uma semana, mas o período exato varia conforme a indicação médica e as orientações do laboratório em que a análise será feita.

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.