Clique e Assine VEJA SAÚDE por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Doença de Crohn: conheça condição do jornalista Evaristo Costa

Essa doença inflamatória intestinal crônica provoca diarreia e dor abdominal, intercalando períodos de crise e remissão

Por Sílvia Lisboa
6 mar 2024, 10h31

O jornalista Evaristo Costa compartilhou no Instagram que sofre da doença de Crohn e respondeu dúvidas de fãs sobre o tratamento. “Está tudo bem agora! Ainda estou tomando corticoide para depois entrar no tratamento específico. Estou medicado e aguardando a conclusão dos especialistas para o melhor tratamento a seguir”, disse o apresentador de TV, com passagens pela Globo e CNN.

Evaristo foi hospitalizado em janeiro para tratar sua doença após sofrer uma crise. Na ocasião, o jornalista disse que sua imunidade estava baixa, o que o levou a contrair também uma infecção bacteriana chamada erisipela, que afetou a pele da perna.

Não se sabe ao certo o que causa o Crohn, mas se acredita que a condição tenha natureza autoimune, ou seja, seria causada por uma desregulação das defesas do organismo.

+Leia também: O papel da dieta no controle das doenças inflamatórias intestinais

Quais são os sintomas da doença de Crohn

Crônica, a doença de Crohn intercala períodos de remissão e manifestação dos sintomas como dor abdominal e diarreia constante que leva à perda de peso. Em alguns casos, pode haver sangramento anal e febre.

É uma das doenças inflamatórias intestinais que pode afetar qualquer parte do sistema digestivo, mas afeta predominantemente a parte inferior do intestino delgado (íleo) e intestino grosso (cólon).

Continua após a publicidade

Durante a crise, a dor e a diarreia começam logo após as refeições. São comuns também dor nas juntas, perda de apetite e lesões na região anal como hemorroidas, fissuras, fístulas e abscessos.

Como é o diagnóstico

Segundo a Associação Brasileira de Colite Ulcerativa e Doença de Crohn, o diagnóstico é feito com exames de imagem, como ressonância magnética, endoscopia e colonoscopia.

Além dos exames, existe um sistema de mensuração da atividade da doença baseado no número de evacuações, dor abdominal, indisposição geral, ocorrência de fístulas, que permite classificar a doença em leve, moderada ou grave. Se a doença é leve, o clínico apenas acompanha a evolução do paciente.

A enfermidade afeta em igual proporção homens e mulheres, entre 20 e 40 anos. A incidência é mais alta entre os fumantes – o tabagismo piora o prognóstico. Pacientes com a doença precisam ficar atentos porque o Crohn é fator de risco para câncer de intestino e colorretal.

Que tratamentos existem para a doença de Crohn

O tratamento tem o objetivo de reduzir a inflamação, tratar os sintomas, corrigir deficiências nutricionais e prolongar os períodos de remissão. Nas crises, o tratamento usual é a base de corticoides, como mencionou Evaristo Costa.

Continua após a publicidade

Para o controle da inflamação, são usados também imunossupressores e terapia biológica. Em quadros mais graves, pode haver a necessidade de cirurgia para remover áreas danificadas do intestino, que pode sofrer com feridas e obstrução durante as fases ativas da doença.

Em geral, os pacientes não são instruídos a seguir dietas especiais, mas a observar os tipos de alimentos que pioram os sintomas. Durante as crises, alimentos apimentados e cafeína são desaconselhados.

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.