Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Continua após publicidade

A saúde por trás do futebol

Na esteira da Copa do Mundo, mostramos os benefícios e os riscos da modalidade

Por Ingrid Luisa
Atualizado em 16 dez 2022, 14h29 - Publicado em 16 dez 2022, 14h29

O futebol é mais que um esporte no Brasil. Faz parte da nossa cultura. Seja nos campos de várzea, seja nas quadras das escolas, seja na rua ou no quintal, o jogo é uma das formas clássicas de lazer desde a infância — quando não é o passatempo predileto na frente da TV.

Segundo a pesquisa Marcas em Campo! O Futebol e a Mídia Dentro e Fora das 4 Linhas, quase 70% dos brasileiros acompanham o esporte. E uma parcela razoável dessa turma também se aventura nas peladas e partidas recreativas.

“O futebol é uma modalidade que trabalha intensidade associada a resistência, gerando um condicionamento físico maravilhoso”, diz o médico do esporte e ortopedista Guilherme Noffs, de São Paulo.

Mas está longe de ser isento de riscos, principalmente para aqueles que jogam sem o preparo adequado. “Ele não é um esporte para qualquer um. Tem ritmo intenso e, por causa dos choques, provoca traumas com frequência. Sem preparo, a probabilidade de sofrer uma lesão é muito alta. Tanto que é uma das atividades em que as pessoas mais se machucam”, avisa Noffs.

Mais recentemente, estudos passaram a alertar para possíveis danos das cabeçadas na bola ao sistema nervoso no longo prazo.

Claro que os perigos são bem maiores para os atletas profissionais, mas convém ter cautela e se preparar direito para desfrutar do melhor do esporte.

Continua após a publicidade

+ Leia também: Vamos à luta? As artes marciais como exercício físico

O corpo em jogo

Entenda o que pode acontecer da cabeça aos pés

  • Cabeça
    O jogo estimula agilidade de raciocínio e coordenação motora. Mas as cabeçadas e os choques de cabeça representam um risco, sobretudo para crianças.
  • Braços
    Já notou que os jogadores caem rolando? É a forma mais segura de se resguardar, pois o peso do corpo não recai sobre os braços. Amadores se machucam assim.
  • Coração e pulmões
    O futebol é padrão ouro em condicionamento físico. Uma partida entre adultos pode equivaler a uma corrida intensa por quilômetros. Só que isso exige preparo!
  • Coluna
    O futebol exige uma rápida mudança de direção, por isso é importante trabalhar os músculos da lombar e do abdômen, principalmente os oblíquos. A musculação é bem-vinda!
  • Coxas
    O problema mais frequente é o estiramento dos músculos, consequência de sobrecarga ou muito esforço. É preciso fortalecer bem a região.
  • Joelhos
    A maior preocupação é o ligamento cruzado anterior, responsável pela estabilização. Ele lesiona quando ocorre algum giro no joelho, em queda ou choque.
  • Tornozelos
    São demandados com frequência, tanto que a torção ali é uma das lesões mais comuns. Foi o que aconteceu com o craque Neymar nesta Copa do Mundo.

+ Leia também: O que podemos aprender com o preparo das nossas jogadoras de futebol

Um treino essencial

Você já viu jogadores de futebol se agachando com uma perna só, os braços estirados pra frente e olhos fechados? Ou se equilibrando numa bola murcha?

Esses são exemplos de exercícios de propriocepção, que melhoram a capacidade que o nosso corpo tem de avaliar a posição em que se encontra e manter o equilíbrio.

Continua após a publicidade

Estudos apontam que uma boa propriocepção faz a diferença para as articulações dos atletas.

“O acidente é imprevisível, mas a proteção contra ele não é. Esses exercícios preparam as articulações para proteger os ligamentos e evitar lesões sérias em casos de pancadas”, explica o médico do esporte Guilherme Noffs.

Portanto, esse tipo de treino se soma à musculação no preparo dos profissionais.

Compartilhe essa matéria via:

 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A saúde está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA SAÚDE.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.