Clique e assine com até 72% de desconto

Pílula promete ser solução para intolerância a glúten

Enzima especial criada em laboratório promete ser a saída para a digestão do glúten e o fim do sofrimento do intestino

Por Redação M de Mulher Atualizado em 28 out 2016, 06h14 - Publicado em 3 jul 2013, 22h00

A pílula vai permitir que celíacos comam alimentos com glúten, como pães e bolos
Foto: Getty Images

A manipulação genética da enzima de uma bactéria deve melhorar a vida de quem não pode comer a proteína presente no trigo, na aveia e na cevada. Pesquisadores das Universidades de Washington e da Califórnia, ambas nos Estados Unidos, uniram-se para criar um medicamento que permite aos celíacos consumir esses alimentos sem as consequências desagradáveis da intolerância – dores abdominais, diarreia crônica, flatulência e desnutrição. “Queremos aprimorar essa enzima para que ela resista às condições ácidas do estômago e quebre o glúten no órgão, antes de prejudicar o intestino”, diz a americana Ingrid Swanson Pultz, uma das integrantes do projeto. A molécula conseguiu processar mais de 95% da proteína nas experiências feitas até agora. Os testes com animais ainda não começaram, por isso a boa nova para a turma dos celíacos será anunciada somente daqui a alguns anos.

Entenda a doença celíaca

Pessoa saudável

A mucosa do intestino delgado possui vilosidades, semelhantes a dedos, que aumentam a superfície de absorção de nutrientes como carboidratos e proteínas, além de ferro, cálcio e vitaminas.

Celíaco

Ao chegar ao intestino, o glúten estimula a produção de anticorpos que atrofiam esses “dedos”, reduzindo a área de absorção. Por isso, a pessoa desenvolve problemas nutricionais sérios.
 

Continua após a publicidade
Publicidade