Clique e assine VEJA SAÚDE por R$ 6,90/mês

O raio X da desnutrição hospitalar no Brasil

Pesquisa escancara números preocupantes, mas aponta caminhos para mudar esse cenário

Por Diogo Sponchiato - Atualizado em 22 out 2016, 18h59 - Publicado em 7 jul 2016, 16h49

Um levantamento capitaneado pela Nestlé Health Science envolvendo quase 20 mil brasileiros internados alerta para índices expressivos de desnutrição hospitalar, sobretudo entre os idosos. “Comparando com dados do início dos anos 2000, notamos que a situação não melhorou”, conta a nutricionista Monica Meale, coordenadora do trabalho. “Ainda faltam braço, foco e investimento dentro dos hospitais, tanto no âmbito público como no privado”, observa Marco Hidalgo, diretor regional para a América Latina da Nestlé Health Science.

O bacana é que a iniciativa já traçou soluções, como implementar a avaliação nutricional nas primeiras 48 horas da internação e treinar profissionais para evitar que a rotina de exames, fisioterapia e banhos sabote, sem querer, a alimentação do paciente. “A terapia nutricional diminui o número de dias na UTI, o risco de infecções e até o custo hospitalar”, ressalta Monica.

– 19 222 pessoas internadas foram avaliadas no estudo

– 300 estudantes de nutrição se envolveram

– O trabalho foi feito em110 hospitais, entre públicos e privados

Continua após a publicidade

– 69% dos idosos apresentavam desnutrição hospitalar

– 24% foi a incidência do problema entre os adultos

– 30% dos mais velhos estavam com desnutrição severa

– 48% é a prevalência estimada de desnutrição hospitalar no país

– 90% das instituições estavam com o indicador nutricional abaixo do desejado

– 86% dos hospitais alcançaram índices adequados após a intervenção

Continua após a publicidade
Publicidade