Clique e assine VEJA SAÚDE por R$ 5,90/mês

Fibromialgia: saiba como a musculação pode ajudar contra a doença

Exercícios de resistência feitos com moderação combate uma série de sintomas dessa síndrome dolorosa.

Por Redação M de Mulher - Atualizado em 28 out 2016, 02h28 - Publicado em 22 abr 2014, 22h00

A musculação moderada ajuda a aliviar os sintomas da fibromialgia.
Foto: Getty Images

 

Incômodos constantes, fadiga e rigidez muscular faz parte do cotidiano de quem tem fibromialgia, até porque ainda não existe um tratamento realmente efetivo para silenciá-la. Mas uma revisão do Instituto Cochrane revela que visitar a academia pode ao menos diminuir várias de suas terríveis manifestações.

Após interpretar dados de cinco pesquisas, os cientistas notaram que levantar peso de duas a três vezes por semana resulta em uma melhora geral na qualidade de vida dos pacientes. “Esse tipo de atividade deixa a pessoa mais resistente às dores e ainda reduz a ansiedade e a depressão, consequências típicas da doença”, explica Angela Busch, uma das autoras da investigação e fisioterapeuta da Universidade de Saskatchewan, no Canadá. Mas a prática deve ser feita com moderação. “O excesso de qualquer prática esportiva tende a piorar as dores típicas da fibromialgia”, contrapõe Angela. Para não se arrepender depois, o ideal é começar com pesos bem leves e, orientado por um especialista, aumentar a intensidade aos poucos.

 

As vantagens da musculação

Diminuição do nível do incômodo
Os voluntários que suavam a camisa reportavam, em uma escala de 0 a 10, sentir dois pontos a menos de dor do que os sedentários.

Menos regiões doloridas
Segundo o artigo, quem malha tem um número menor de áreas do corpo hipersensibilizadas.

Ganho de força e autonomia
Por deixarem a musculatura em forma, os exercícios resistidos facilitam diversas tarefas do dia a dia.

Bem-estar
Afora contornar os efeitos do distúrbio, as atividades físicas liberam, no cérebro, substâncias que trazem a sensação de prazer.

Continua após a publicidade
Publicidade