Clique e Assine VEJA SAÚDE por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Brincadeiras protegem cães contra demência

Interações promovem aumento de importante região cerebral

Por Larissa Beani
1 jun 2024, 11h06

A cognição dos cachorros, assim como a nossa, também pode começar a vacilar com o avanço da idade. Uma boa dose de diversão, porém, ajuda a minimizar as perdas.

Um experimento americano associou a socialização e a prática de exercícios ao crescimento do hipocampo canino, área cerebral responsável pela memória. O aumento foi flagrado em exames de ressonância de dezenas de cães acompanhados ao longo de três anos — com ou sem suporte de medicações contra demência. Os resultados foram publicados em abril na revista científica The Journal of Neuroscience.

+ Leia também: Abril Laranja busca conscientizar sobre a crueldade contra animais

“O enriquecimento comportamental é um dos alicerces da prevenção e do tratamento da condição”, resume Thiago Teixeira, diretor do centro veterinário Nouvet, em São Paulo.

Enquanto não há cura, a ciência reforça: a variedade de estímulos colabora para afiar as conexões neurais e preservar as lembranças dos amigos de quatro patas.

Sinais de demência em cães

  • Mudanças comportamentais, como trocar o dia pela noite, são sinais de alerta para perda cognitiva;
  • Desorientação frequente entre animais idosos levanta suspeita e merece investigação;
  • Excesso de latidos, uivos e choros também são comuns entre cachorros com demência.

+ Leia também: O peso da genética na longevidade canina

Marcado na memória

Declínio afeta dois terços dos cães com mais de 15 anos, segundo estudo americano

Suspeita e detecção

O diagnóstico é dado após análise de exames de sangue, tomografias e exclusão de doenças infecciosas.

Dia a dia adaptado

Sem cura, a condição é manejada com fármacos e atividades orientadas pelo veterinário de confiança.

Continua após a publicidade

O peso da idade

Segundo o estudo Dog Aging Project, o risco de demência cresce 52% anualmente após a primeira década de vida. 

Cuidar para evitar

Manter uma rotina ativa, boa alimentação e consultas em dia ajuda a promover uma velhice saudável ao seu cão.

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.