saudeLOGO Created with Sketch.

Teste brasileiro detecta 416 vírus diferentes

Exame possibilita identificar dengue, zika e outros vilões de uma tacada só

Criado na Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, um novo aparelho permite rastrear e encontrar mais de quatro centenas de agentes infecciosos típicos das regiões tropicais do planeta a partir de uma amostra de sangue. “Os métodos disponíveis hoje procuram por apenas um único vírus ou um número limitado deles”, explica o bioquímico Victor Hugo Aquino, idealizador da tecnologia.

Assim, se o causador de determinada doença for desconhecido, é necessário recorrer a vários testes até descobrir qual deles está por trás dos sintomas. A ideia é que o dispositivo, ainda em desenvolvimento, seja utilizado em grandes laboratórios de referência, como o Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo, e a Fundação Oswaldo Cruz, no Rio de Janeiro, para monitorar os casos de enfermidades e evitar que epidemias se espalhem pelo país.

Como funciona

1. Análise

A novidade consiste numa lâmina de vidro com milhares de sondas que carregam informações de trechos do código genético de todos os 416 vírus contemplados. Uma amostra de sangue do paciente é colocada ali.

2. Descoberta

Se há um vírus no material, a sonda compatível com aquela espécie fica fluorescente. Um scanner detecta a alteração e dá o veredicto.

Alguns dos vírus que são flagrados

Quer receber uma dose semanal de SAÚDE no seu e-mail? Então assine nossa newsletter — é grátis e fácil. Basta clicar aqui.