saudeLOGO Created with Sketch.

Aedes Aegypti para combater zika, dengue e chikungunya? Sim!

O próprio mosquito está sendo utilizado para disseminar larvicida por aí. E os resultados contra essas doenças são surpreendentes

A técnica é inusitada, mas, nos locais em que foi aplicada, apresentou ótimas respostas: o número de larvas do Aedes caiu em até 90% e o de mosquitos recém maduros diminuiu em 95%. Tudo isso em 15 dias. A lógica é simples: os pesquisadores criaram uma espécie de armadilha para o inseto, fazendo com que ele mesmo carregue o larvicida pyriproxyfen para onde se reproduz.

Realizado em Manacapuru (AM), pela Fiocruz Amazônia, o estudo durou dois anos. Foram selecionados 100 locais distribuídos pela cidade, que serviram como bases de monitoramento — os chamados criadouros sentinela. Depois, 1 mil recipientes com a substância tóxica às larvas foram deixados pelo município. Essas estações disseminadoras continham água e eram escuras. Tudo para atrair a “presa”.

Veja também

O método funciona porque o Aedes põe seus ovos em vários lugares. Ou seja, quando os deixa na estância que contém o veneno, eles morrem.

E mais: o larvicida não mata o vetor adulto, mas acaba grudando em suas patas. Ao voltar para outros criadouros, portanto, o mosquito espalha o veneno e extermina a prole.

O possível impacto do experimento foi calculado pelos estudiosos. Eles concluíram que, se as taxas de redução forem similares em outros centros urbanos, um surto desapareceria rapidamente, sem virar epidemia.

O desafio em 2017 é justamente esse: testar outras cidades e cenários. Apesar disso, as verificações representam uma estratégia rápida e de baixa complexidade no combate a dengue, zika, chikungunya e outros transtornos causados pelo inseto.

Newsletter Conteúdo exclusivo para você
E-mail inválido warning
doneCadastro realizado com sucesso!

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s