Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Pequenas variações na tireoide já são perigosas para o coração

O hiper e o hipotireoidismo subclínico, que apresentam alterações só um pouco diferentes do normal, podem causar diabete e doenças cardiovasculares

Por Ana Luísa Moraes Atualizado em 5 set 2018, 18h47 - Publicado em 21 mar 2017, 17h30

O hormônio TSH, produzido pelo cérebro, tem a função de regular a atividade tireoidiana. Se ele está em excesso ou em falta, a tireoide produz doses diminutas ou altíssimas do hormônio T4 — é o hipo ou o hipertireoidismo, respectivamente. Contudo, às vezes a alteração do TSH não é tão intensa e, assim, mal mexe com o T4. A isso se dá o nome de hiper ou hipotireoidismo subclínico. Acontece que um estudo da Universidade Harvard, nos Estados Unidos, mostra que mesmo essas condições já podem bagunçar a saúde cardiovascular.

O trabalho revelou que mulheres com um aumento do TSH, mas sem variações significativas no T4, apresentaram uma piora nos índices de colesterol e em um marcador ligado a disfunções cardíacas e ao diabete. Mais de 3 300 voluntárias com idade média de 57 anos foram analisadas pela pesquisa, sendo que todas estavam livres de doenças.

Os cientistas descobriram que, entre as participantes, 17,3% manifestavam hiper ou hipotireoidismo subclínico. Em uma entrevista, o cientista brasileiro Paulo Henrique Harada, que fez parte da investigação, afirma que elas eram aparentemente saudáveis. “Apesar de, neste estágio, as pessoas habitualmente não apresentarem sintomas, suspeita-se que tais problemas estejam atrelados a maior risco futuro de doenças cardiovasculares e diabete tipo 2”, ensina.

Essa não é a primeira vez que esse tipo de encrenca é associado a males preocupantes. Pesquisadores da Faculdade de Medicina de Marília, no interior de São Paulo, já relacionaram o hipertireoidismo subclínico a complicações cardíacas e infartos. Posteriormente, uma conexão foi estabelecida até com a osteoporose.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação confiável salva vidas. Assine Veja Saúde e continue lendo.

Impressa + Digital

Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao site da Veja Saúde, diariamente atualizado.

Blogs de médicos e especialistas.

Receba mensalmente Veja Saúde impressa mais acesso imediato às edições digitais no App, para celular e tablet.

a partir de R$ 14,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao site da Veja Saúde, diariamente atualizado.

Blogs de médicos e especialistas.

Acesso imediato ao app da Veja Saúde, com as edições digitais, para celular e tablet.

a partir de R$ 9,90/mês