Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Aparelho ajuda a visualizar veias do braço com facilidade. Veja!

Dispositivo revela os vasos com rapidez e confere maior precisão no momento da picada

Por André Biernath Atualizado em 2 jun 2017, 11h57 - Publicado em 30 Maio 2016, 16h29

Coletar o líquido vermelho é um procedimento simples, mas que pode ser um sacrifício para crianças, idosos, afrodescendentes, pessoas com fobia de injeção, em tratamento quimioterápico ou que possuem veias mais profundas e escondidas. Isso porque, nesses casos, não é incomum o enfermeiro sofrer para focalizar direito os vasos e inserir a agulha — e, aí, o paciente tem de receber novas picadas e até sai com o braço dolorido. Mas uma nova tecnologia, que começa a ser produzida em nosso país, promete tornar a situação menos dramática.

Apresentada na última Feira Hospitalar, o maior evento de artigos de saúde da América Latina, ela projeta um feixe de luz sobre a pele e revela instantaneamente os tubos sanguíneos que passam por ali. É possível identificar veias com até 1 centímetro de profundidade — a tecnologia sinaliza a distância que o vaso está da pele. Embora o dispositivo já existisse em outros países, o preço da importação era bem alto. A expectativa é que se torne bem mais barato e acessível a partir de agora.

Veja no vídeo abaixo como a novidade funciona:

View this post on Instagram

Ontem, a @revista_saude visitou a Feira Hospitalar, o maior evento de artigos de saúde da América Latina, para conhecer alguns lançamentos e novidades da área. Um dos produtos apresentados foi esse escâner de veias, fabricado no Brasil pela empresa SisnacMed. O objetivo é facilitar a vida de pessoas que têm vasos sanguíneos de difícil acesso e, durante exames de sangue ou tratamentos, sofrem inúmeras picadas até que o tubo correto seja encontrado. No vídeo, é possível ver claramente as veias do nosso repórter @andrebiernath. A tecnologia ainda consegue diferenciar os vasos superficiais dos profundos! #saúde #feirahospitalar #hospital #tecnologia

A post shared by Revista Veja Saúde (@veja_saude) on

Continua após a publicidade
Publicidade