Clique e assine VEJA SAÚDE por R$ 6,90/mês

Duas plataformas online para acompanhar o avanço do coronavírus no Brasil

Uma iniciativa ajuda a entender quais os estados proporcionalmente mais atingidos pela Covid-19, enquanto a outra indica em que fase da pandemia estamos

Por Da Redação - Atualizado em 18 ago 2020, 10h46 - Publicado em 2 jun 2020, 18h50

Duas plataformas online ajudam a compreender a evolução do coronavírus (Sars-CoV-2) no Brasil. Se uma mostra quais são os estados mais atingidos — considerando o tamanho da população e o número de mortes e casos confirmados —, a outra estabelece o estágio da pandemia da Covid-19 no país, com a possibilidade de compará-lo ao de outros países.

O “Acelerômetro da Covid-19”

Comecemos pela segunda iniciativa, da Universidade Estadual Paulista, em Araçatuba. A partir de modelos matemáticos e de dados de diferentes cantos do mundo, ela mostra se um país está apresentando um crescimento lento da doença, um aumento exponencial, uma desaceleração ou um ritmo estacionário de novos casos.

“O que notamos com a análise de mais de 200 países e territórios é que medidas de controle eficazes produzem um efeito rápido na curva de aceleração. Esse comportamento possui alta relevância para a avaliação das políticas públicas”, afirmou, em entrevista à Agência Fapesp, o pesquisador Yuri Utsunomiya, que participou da elaboração dos estudos por trás da plataforma.

Infelizmente, o Brasil está em fase de crescimento exponencial da epidemia, segundo o aplicativo. Esse não seria o momento de flexibilizar medidas de isolamento.

Para acessar o Acelerômetro da Covid-19, basta acessar este link. Escolha a língua de sua preferência e, na sequência, clique no ícone com três listras, que está no canto superior esquerdo. Há vários dados para explorar: destacamos a aba em que dá para verificar a curva de crescimento de diferentes países. Basta escolher uma nação e verificar em que estágio da pandemia ela está a partir das cores e da curva de casos.

O gráfico da esquerda remete à situação da nação escolhida, enquanto o da direita é teórico. Ele serve como base de comparação.

Só um alerta: é possível que países que atingiram uma etapa de desaceleração ou mesmo estacionária voltem a enfrentar um crescimento.

Continua após a publicidade

A evolução dos casos e mortes, estado por estado

Já a sacada de pesquisadores da Pontifícia Universidade Católica do Paraná foi disponibilizar, de maneira didática, o aumento no número de diagnósticos e óbitos por coronavírus em cada estado.

Para possibilitar uma comparação entre regiões com tamanhos de população diversos, eles calculam a quantidade de casos e mortes por 100 mil habitantes. E exibem os gráficos em uma espécie de corrida, na qual é possível verificar o avanço de cada estado ao longo dos dias.

Confira o gráfico relativo ao número de mortes:

 

E o gráfico que traz a evolução do número de mortes:

Você consegue notar, por exemplo, que o estado proporcionalmente mais atingido no momento em termos de óbitos pela Covid-19 é o Amazonas, seguido de Ceará, Pará e Pernambuco. Acima disso, dá para ver quais regiões estão acelerando mais rapidamente e quais parecem estar com a doença um pouco mais controlada.

Só tenha em mente que ambas as plataformas dependem do registro de casos confirmados e mortes. E o Brasil vem enfrentando um problema de subnotificação.

Continua após a publicidade
Publicidade