Clique e assine VEJA SAÚDE por R$ 6,90/mês

Coronavírus: a vida de quem é do grupo de risco

Discriminação, medo, cuidados redobrados... veja como é pertencer ao grupo de risco do coronavírus. Detalhe: metade dos brasileiros integraria essa turma

Por Da Redação - Atualizado em 18 ago 2020, 10h46 - Publicado em 28 Maio 2020, 07h23

Não é raridade ter alguma doença ou fator que o coloca no grupo de risco para o novo coronavírus (Sars-CoV-2). Um estudo da Universidade Federal de São Paulo sugere que metade dos brasileiros estaria nessa situação de uma forma ou de outra. Mas como é conviver com esse carimbo? O medo toma conta? A vida muda muito?

Conversamos com duas pessoas para nos ajudar com essas e outras questões. Diretora das ONGs Crônicos do Dia a Dia (CDD) e Amigos Múltiplos pela Esclerose (AME), Bruna Rocha revelou sua própria história para mostrar o impacto de ser encaixado no grupo de risco. Ela tem esclerose múltipla e, por causa do tratamento, seu sistema imunológico pode ficar mais suscetível a infecções como a do coronavírus. Além disso, Bruna vive com pessoas acima de 60 anos e seu marido, que foi diagnosticado com a mesma doença.

Quem também participou do bate-papo foi o psiquiatra Daniel Barros, do Hospital das Clínicas, em São Paulo. Autor do livro O Lado Bom do Lado Ruim (clique aqui para comprar), ele mostra como o ser humano tende a pensar no grupo de risco como “o outro” para se se sentir mais seguro. E discute como podemos abordar esse tema sem menosprezarmos as pessoas que integram o grupo de risco.

O episódio ainda contou com depoimentos rápidos de duas mulheres que também tem maior probabilidade de apresentar casos graves da Covid-19. Agradecemos ao Oncoguia por nos ajudar a colher um desses depoimentos (o de uma paciente em tratamento do câncer).

Você pode escutar o programa em diversas plataformas. Dá para clicar ali em cima e ouvir no nosso site mesmo. Também estamos no Spotify, no Deezer, no Google Podcasts, no Pocket Casts, no Youtube… Não sabe como ouvir nesses ambientes? Clique aqui.

Continua após a publicidade

Se preferir, escute pelo Spotify diretamente por aqui:

 

Ou pelo Youtube:

 

Continua após a publicidade
Publicidade