Clique e assine VEJA SAÚDE por R$ 6,90/mês

Coronavírus e tireoide: 5 perguntas e respostas

Uma especialista aborda questões comuns sobre a Covid-19 entre pessoas com hipertireoidismo, hipotireoidismo, nódulos ou câncer na tireoide

Por Da Redação - 29 Maio 2020, 18h35

Para fechar o mês de maio, dedicado à tireoide, a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia – Regional São Paulo decidiu esclarecer dúvidas comuns sobre o coronavírus entre quem possui algum problema nessa glândula. A entidade escalou a médica Carolina Ferraz para abordar como a Covid-19 pode interferir no tratamento e no diagnóstico de hiper e hipotireoidismo e de nódulos ou câncer na tireoide.

Vamos às perguntas:

1. Estou infectado com o coronavírus. Devo suspender a medicação para hiper ou hipotireoidismo?

Seja para o hipotireoidismo ou para o hipertireoidismo, o remédio deve ser mantido.Não mude a dosagem do tratamento sem indicação médica.

O recado mais importante: indivíduos com esses distúrbios não integram o grupo de risco do coronavírus. Isso significa que eles não são especialmente suscetíveis a suas complicações, embora possam sofrer com elas, como qualquer um.

Continua após a publicidade

2. Nódulo de tireoide é um fator de risco para complicações pelo coronavírus?

Não. Pessoas com nódulos também não entram no grupo de risco. Mas devem adotar medidas preventivas como toda a população.

3. E as pessoas com câncer na tireoide, fazem parte do grupo de risco para a Covid-19?

Em geral, não. Isso vale mesmo para quem passou pela cirurgia de retirada da glândula e se submeteu à terapia com iodo radioativo.

A única ressalva é para pacientes com metástases, principalmente nos pulmões. Esses indivíduos podem apresentar um maior risco de apresentar casos graves da infecção, tanto pela extensão da doença quanto pelos possíveis efeitos dos medicamentos. A recomendação é buscar orientação médica.

4. Minha cirurgia para retirar a tireoide foi adiada. Meu nódulo pode virar um câncer por causa dessa demora?

Não. Vale lembrar que o percentual de nódulos da tireoide que evoluem para câncer gira em torno de 5-10%. E leva muito tempo para isso acontecer.

Continua após a publicidade

Portanto, muito dificilmente esse atraso trará qualquer repercussão. Se o médico cancelou a cirurgia, é porque ela não tem urgência. Mantenha a calma e o tratamento recomendado.

5. Biópsias para avaliar nódulos suspeitos na tireoide devem ser feitos agora?

A punção por agulha fina (PAAF), procedimento comum para fazer a biópsia, é considerada um procedimento eletivo nesses casos. Ou seja, não compromete a vida do paciente se for postergada. Esperar a pandemia passar é uma decisão prudente.

Publicidade