Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Combate ao câncer passa pela microbiota

Micro-organismos do intestino ajudam a explicar como pessoas com melanoma reagem à terapia

Por Chloé Pinheiro
Atualizado em 25 mar 2022, 13h58 - Publicado em 25 mar 2022, 13h58

Um experimento publicado na prestigiosa revista Science aponta que a modulação da microbiota intestinal, o conjunto de bactérias e outras criaturas que habitam esse órgão, pode melhorar o efeito da imunoterapia em indivíduos com melanoma metastático, o tipo mais grave de câncer de pele.

“Já sabemos há algum tempo que essa relação existe e que, por outro lado, apenas 35% dos pacientes com esse tumor respondem à imunoterapia, sendo que esse é o melhor resultado entre os cânceres”, contextualiza a oncologista Diana Nunes, do A.C.Camargo Cancer Center, em São Paulo.

No artigo da Science, os experts relatam que mudanças na dieta promoveram alterações na microbiota, e isso, por sua vez, favoreceu a atuação das medicações.

“Outros grupos de pesquisa obtiveram resultados semelhantes com métodos como o transplante fecal”, conta a médica. O centro paulistano também pretende entrar nessa e construir um banco de amostras fecais para investigar o assunto.

Compartilhe essa matéria via:

O elo entre intestino e imunidade

O que a microbiota tem a ver com o tratamento do câncer

  1. Educação
    A microbiota atua como uma linha de defesa primária ao ensinar o sistema imune a distinguir patógenos inofensivos de presenças indesejadas.
  2. Ativação
    A imunoterapia torna os tumores mais visíveis ao sistema imunológico. Quanto mais treinado ele estiver, melhor. É aí que uma microbiota saudável pode ajudar.

BUSCA DE MEDICAMENTOS Informações Legais

DISTRIBUÍDO POR

Consulte remédios com os melhores preços

Favor usar palavras com mais de dois caracteres
DISTRIBUÍDO POR

A próxima geração dos probióticos

Os probióticos — bactérias e outros micro-organismos bem-vindos veiculados em sachês, bebidas ou cápsulas — são estudados e usados para equilibrar a microbiota e desempenhar algumas missões específicas, como regular o trânsito intestinal, alavancar a imunidade e amenizar a ansiedade.

produtos probióticos
Probióticos beneficiam a microbiota. (Ilustração: Eduardo Pignata/SAÚDE é Vital)

Mas esse nicho deve se tornar ainda mais high-tech. Uma equipe ligada à Universidade Harvard, nos Estados Unidos, anunciou a invenção de uma levedura geneticamente modificada criada a partir da espécie empregada para fermentar cervejas.

O novo “bichinho” foi programado para encontrar e suprimir inflamações em doenças como a síndrome do intestino irritável. E já se saiu bem em testes iniciais, com roedores.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A saúde está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA SAÚDE.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.