Clique e assine VEJA SAÚDE por R$ 6,90/mês

Casos de chikungunya devem aumentar em 2017

Ministério da Saúde estima que esse vírus vai dominar o verão de 2017 - inclusive superando dengue e zika

Por Agência Brasil - 24 nov 2016, 18h49

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, disse hoje (24) que o governo prevê um aumento significativo de infecções pelo vírus chikungunya no Brasil em 2017. Os casos confirmados da doença aumentaram 15 vezes de 2015 para 2016 (de 8 528 para 134 910) e os suspeitos, quase dez vezes (de 26.763 para 251.051).

Barros destacou ainda que, para 2017, a expectativa é de que os casos de infecção por dengue e pelo vírus zika se mantenham estáveis em relação ao que foi registrado em 2016. “Estamos nos preparando para um aumento de casos de chikungunya”, enfatizou o ministro.

Leia também: Chikungunya ficou mais mortal que a dengue?

Este ano, pelo menos 138 óbitos por febre chikungunya foram registrados nos seguintes estados: Pernambuco (54), Paraíba (31), Rio Grande do Norte (19), Ceará (14), Bahia (5), Rio de Janeiro (5), Maranhão (5), Alagoas (2), Piauí (1), Amapá (1) e Distrito Federal (1). Atualmente, 2 281 municípios brasileiros já registraram casos da doença.

Continua após a publicidade

Dados divulgados pelo ministério apontam que 855 cidades brasileiras estão em situação de alerta ou de risco de surto de dengue, chikungunya e zika. O número representa 37,4% dos municípios pesquisados.

Publicidade