Assine VEJA SAÚDE por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Carnaval: como evitar inchaço e dor nas pernas nos dias de folia

Hidratar-se, caminhar, usar fantasias leves... é possível cuidar da saúde vascular sem abdicar da festa, segundo um angiologista

Por Larissa Beani
Atualizado em 8 fev 2024, 12h07 - Publicado em 8 fev 2024, 11h52

A essa altura, os foliões estão contando as horas para iniciar a maratona de bloquinhos, festas e bares no feriado de Carnaval. Haja pique para dar conta do recado! No corre-corre de uma comemoração para outra, porém, alguns sintomas desagradáveis podem acabar com a folia. Entre eles, destacam-se dor e inchaço nas pernas.

Esses são incômodos que surgem pela exaustão — e podem ser sinais de complicações. Portanto, merecem atenção.

“Pessoas com problemas vasculares prévios, como varizes, estão em maior risco de sentir esses sintomas e desenvolver quadros de inflamação venosa e até trombose“, alerta Armando Lobato, presidente da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV).

+ Leia também: Mononucleose: o que é a “doença do beijo”?

Um fator que favorece o aparecimento do inchaço e da dor das pernas é o calor extremo do verão, que contribui para a dilatação das veias. Isso, por sua vez, gera edemas dos membros inferiores — principalmente ao ficar em pé por muitas horas.

Segundo Lobato, esses problemas podem ser prevenidos com medidas simples, como manter-se hidratado e ativo, além de usar roupas confortáveis. “É possível curtir o Carnaval sem deixar a saúde de lado“, garante o angiologista.

Conheça algumas dicas para evitar problemas nos membros inferiores no feriado:

Continua após a publicidade

1. Hidrate-se

O consumo diário de dois litros de água é essencial para encarar o calor do verão. Mesmo que você esteja bebendo álcool, não deixe de ingerir também água e isotônicos para recuperar os líquidos e nutrientes perdidos pelo suor e pela urina.

“Quem bebe álcool faz muito mais xixi do que quem não bebe, e tem o risco de vomitar. Assim, perde muito mais líquido e tem maior risco de desidratação”, explica Lobato. Aqueles que já possuem problemas vasculares devem evitar bebidas alcoólicas.

+ Leia também: Atenção, foliões: kit ressaca não funciona (e até prejudica a sua saúde)

2. Caminhe

Quanto mais tempo a pessoa passa de pé, parada, no calor, maior o risco de ficar com as pernas inchadas.

Isso ocorre porque, além das veias se dilatarem, o plasma sanguíneo se acumula entre os tecidos da perna, causando edemas. Quanto maior o inchaço, maior a sensação de peso e a dor nos membros inferiores.

“Ao ficar de pé por muito tempo, a pessoa também dificulta a circulação venosa, isto é, o retorno do sangue das pernas ao coração. Por isso, a cada duas horas, é recomendado fazer uma caminhada de dez minutos”, orienta o angiologista.

Continua após a publicidade

Em caso de inchaço, vale também sentar-se e elevar as pernas para facilitar a circulação sanguínea.

Caso o edema ou a dor nas pernas persista por mais de 24 horas, é recomendado procurar ajuda médica. Outros sinais, como vermelhidão, tontura, sensação de desmaio e falta de ar também precisam de atenção profissional.

Mas atenção: por outro lado, andar demais atrás de blocos também pode causar desconfortos. Então aproveite momentos em que a música baixar para repousar um pouco as pernas, alimentar-se… e, se for o caso, partir para a próxima!

+ Leia também: Caminhar é preciso – entenda o poder da caminhada

3. Use roupas confortáveis

Dê preferência a fantasias leves, que não retenham calor e suor. “Roupas calorentas devem ser evitadas, principalmente se a pessoa for festejar durante o dia, enquanto há muita incidência solar, e beber álcool, que favorece a desidratação”, afirma Lobato.

O especialista também sugere o uso de tênis esportivo para proteger os pés de lesões e para tornar a folia mais confortável. Além disso, pacientes com problemas vasculares devem vestir meias de compressão para evitar problemas de saúde nos membros inferiores. Nesse caso, é bom conversar com o médico sobre seu planejamento para o Carnaval.

Continua após a publicidade

4. Proteja-se do sol

Não esqueça de passar protetor solar cerca de 20 a 30 minutos antes de se expor ao sol e de reaplicá-lo a cada duas horas. E não economize na quantidade.

Segundo o Consenso Brasileiro de Fotoproteção, recomenda-se seguir a “regra da colher de chá“:

  • A medida de uma colher de chá para a cabeça e o pescoço
  • Outra para cada braço
  • Duas colheres de chá para o tórax, abdômen e costas
  • Duas para cada perna.

Ah, e não se esqueça de orelhas, mãos e pés.

Usar sombrinhas, bonés, roupas com fotoproteção e óculos de sol também é uma forma de complementar a proteção contra a radiação ultravioleta, que pode causar câncer de pele, queimaduras e envelhecimento precoce.

Essas medidas também ajudam a amenizar a sensação de calorão da época.

Continua após a publicidade

+ Leia também: Pele a salvo: como se cuidar contra o câncer

5. Prepare-se para viagens longas

Se você vai aproveitar o feriado para viajar, lembre-se de tirar um tempo para esticar as pernas ao longo do trajeto.

Em percursos feitos de carro, recomenda-se que pessoas com histórico de trombose façam, pelo menos, uma parada a cada duas horas para caminhar por cerca de dez minutos. Em viagens de avião, levante-se no mesmo intervalo para caminhar no corredor, caso seja possível, ou faça movimentos circulares com os tornozelos e estique os joelhos enquanto estiver sentado.

“Aqueles que já tiveram trombose e farão viagens com duração superior a cinco horas precisam consultar o cirurgião vascular para avaliar se há anormalidades“, orienta o presidente da SBACV. “Ele é o responsável por recomendar medidas preventivas, como uso de meia de compressão e anticoagulantes.”

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A saúde está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA SAÚDE.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja Saúde impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.