Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Aciclovir: o que é, para que serve e como tomar esse medicamento

Vendido em comprimido ou pomada, aciclovir trata o vírus da herpes; entenda quanto tempo dura o tratamento para cada caso, os efeitos colaterais etc

Por Fabiana Schiavon Atualizado em 8 jul 2022, 17h09 - Publicado em 4 jul 2022, 16h45

O aciclovir serve para tratar infecções causadas pelo vírus da herpes, tanto a genital como a oral. O mesmo remédio também é usado para conter o herpes-zóster. A forma de tomar o medicamento, as doses e a quantidade de dias variam, inclusive porque há a versão em comprimido e a pomada. O remédio pode provocar fadiga, febre e coceira na pele, entre outras reações adversas.

Essa fórmula é comercializada por diferentes farmacêuticas e pode ser encontrada nas prateleiras pelos nomes de Virotin, Aciclofar, Zovirax e Ziclovir, entre outros, ou até por aciclovir, como genérico.

Saiba mais:

O que á o aciclovir e para que ele serve?

Esse medicamento integra o tratamento de infecções causadas pelo vírus herpes simplex – que provoca as herpes dos tipos genital e oral – e do varicela-zoster, causador do herpes-zóster.

“O aciclovir é amplamente utilizado por bloquear a multiplicação desses vírus“, explica a farmacêutica Carolina Xaubet do Centro Brasileiro de Informação sobre Medicamentos do Conselho Federal de Farmácia (Cebrim/CFF). Esses inimigos da saúde em geral atacam e provocam sintomas em mucosas (como boca, olhos e órgãos genitais), na pele e no cérebro.

+ Leia também: Nova vacina contra herpes-zóster chega ao Brasil; saiba quem pode tomar

A profissional reforça que esse medicamento não evita a reinfecção ou transmissão de herpes genital.

Mas ele às vezes é indicado na prevenção de herpes em imunocomprometidos. É que esse vírus fica latente no organismo – uma vez que você pega, não se livra dele. Aí, quando há uma baixa do sistema imune por causa de uma doença ou uma cirurgia, por exemplo, ele pode voltar a se manifestar.

“No imunossuprimido, essa baixa é uma constante, por isso utilizamos o remédio de forma preventiva, com duas ou até cinco doses ao dia, dependendo de casa caso”, esclarece a infectologista Giovanna Sapienza, do Centro de Prevenção Meniá.

Esse cuidado ocorre porque pode haver casos graves de herpes nesse grupo. E mesmo as situações menos problemáticas geram muitos incômodos, de acordo com Giovanna.

+Leia também: Alprazolam: para que serve esse ansiolítico e quais efeitos colaterais

Como tomar o aciclovir?

A posologia descrita na bula indica doses diferentes de comprimidos de acordo com as seguintes situações:

Continua após a publicidade

  • Tratamento de herpes simples: um comprimido de 200 mg, cinco vezes ao dia, com intervalos de quatro horas (sem precisar tomar durante a noite), por pelo menos cinco dias. A dose pode aumentar em casos de pessoas imunocomprometidas
  • Tratamento de herpes-zóster: um comprimido de 800 mg, cinco vezes ao dia, com intervalos de quatro horas (sem precisar tomar durante a noite), por, pelo menos, sete dias

Pomada e comprimido podem ser utilizados de forma simultânea se o médico julgar necessário, mas suas funções são diferentes. E, apesar dessa indicação presente nas bulas, é sempre importante discutir o seu caso com um profissional de saúde.

Como o comprimido se dissemina pela corrente sanguínea, seu uso é mais amplo. Já a pomada tem ação local, principalmente na prevenção e no tratamento das lesões visíveis.

Há ainda a pomada oftálmica, indicada para o tratamento de ceratite. Essa é uma inflamação da córnea associada à infecção pelo herpes simplex.

“Já uadros graves necessitam de tratamento endovenoso para garantir que a medicação está chegando na concentração adequada nos locais da infecção”, pondera Paulo Gewehr Filho, infectologista do Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre.

Compartilhe essa matéria via:

Quanto tempo dura o tratamento?

Isso depende da condição clínica do paciente. A média de é de três a dez dias de tratamento.

“São muitas as variáveis que determinam o tempo de tratamento. Precisamos saber se é o primeiro episódio, quais são as respostas na melhora dos sintomas e estado de saúde do indivíduo. Além disso, há o uso preventivo e contínuo para evitar recorrências em situações específicas”, pontua Gewehr Filho.

+ Leia também: Prednisona: o que é, para que serve e como funciona esse corticoide

Quais são os principais efeitos colaterais?

Há mais relatos de fadiga, febre, coceira na pele, náusea, vômito, diarreia e dores abdominais. Os indivíduos que possuem doença renal podem sentir dor de cabeça e tontura. Quem usa o creme pode sentir ardência, coceira ou um leve ressecamento na pele.

Esses sintomas são simples e transitórios, segundo Gewehr Filho. Apenas raramente há alterações renais significativas.

O acompanhamento se torna mais relevante quando há uso prolongado do aciclovir.

BUSCA DE MEDICAMENTOS Informações Legais

DISTRIBUÍDO POR

Consulte remédios com os melhores preços

Favor usar palavras com mais de dois caracteres
DISTRIBUÍDO POR
Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação confiável salva vidas. Assine Veja Saúde e continue lendo.

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e no app.

Blogs de médicos e especialistas.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao site da Veja Saúde, diariamente atualizado.

Blogs de médicos e especialistas.

Receba mensalmente Veja Saúde impressa mais acesso imediato às edições digitais no App, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês